Desconto pode chegar a 15%. Clientes que aderiram a modalidade explicam as vantagens do serviço

O isolamento social recomendado pelas autoridades de saúde para reduzir o contágio pelo novo coronavírus tem mudado diversos hábitos de consumo e alterado a rotina de muitas pessoas, inclusive daquelas que passaram a trabalhar em casa, no sistema home office. Com isso, a tendência é que os gastos com a energia elétrica aumentem.

Para evitar um alto valor nas contas de consumo, moradores de Uberaba e Uberlândia contrataram o serviço de uma cooperativa de energia solar.

Segundo o diretor de quatro fazendas em Minas Gerais que utilizam o serviço, Nicola Giani, a vantagem de ser cooperado é conseguir desconto de até 15% na conta de energia.

“Com base na média de consumo, o morador contrata uma franquia. A mensalidade cobrada garante esse desconto de 15%, de forma simplificada e sem risco. O valor só é cobrado quando o crédito é reconhecido pela fatura de energia. O cooperado também pode acompanhar essa geração através do aplicativo. O crédito também é discriminado na conta dele”, explicou Giani.

Nicola exemplificou que apenas uma das fazendas de energia dele, em Uberaba, tem a capacidade de atender até 300 famílias com consumo médio de 550 kw/h por mês.

O que equivale a uma casa com três pessoas. Essa modalidade de geração distribuída é chama de geração compartilhada, criada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 2015.

“Por morar em apartamento, foi uma opção rápida de economia de energia com consumo consciente. Esse foi o principal propósito que me fez aderir. A minha conta de energia gira em torno de R$ 750. A expectativa é de desconto de 15%, o que dá em torno de R$ 1.500 de economia ao ano. Anualmente é um desconto relevante sem nenhum tipo de investimento”, falou o arquiteto Roberto Aubrey, que contratou o serviço a menos de dois meses.

De acordo com o diretor, quanto maior o consumo, maior o desconto. Já que é aplicado o percentual em cima do valor gasto naquele mês.

Home office

Energia limpa e sem nenhum gasto com instalação de placas solares, era isso que o casal morador de Uberlândia, Mônica e Diego procuravam quando contrataram o serviço.

“Nós moramos em uma casa alugada. Para minha situação foi o ideal, não precisei fazer obra ou acionar o proprietário. Também estamos trabalhando home office há mais de um mês, ficamos em casa o dia todo e ligamos o ar condicionado, isso gasta bastante energia”, explicou Mônica Cristina Ferreira, agrônoma.

Por Michele Ferreira, G1 Triângulo e Alto Paranaíba


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *