Um sistema de energia fotovoltáica requer cerca de R$ 6 Mil/kW instalado em investimentos.

Considerando um prazo de 5 anos de amortização e uma taxa de remuneração (juros compostos) para o capital investido de 1,5% ao mes (para cobrir o risco Brasil), equivale a dizer que será necessário gerar mensalmente uma economia de R$ 150 por mês por cada kW instalado.

Cada kW instalado de painéiss solares produz cerca de 100 kWh de energia elétrica por mês. Significa então que o custo da amortização do investimento será de R$ 1,5/kWh entregue.

Moral da história: para que o sistema solar seja viável, a tarifa que o consumidor paga pela energia elétrica deve ser superior a R$ 1,5/kWh, incluindo todos os impostos.

Nada impede que alguém atendido por concessionária que cobre tarifas inferiores a R$ 1,5/kWh instale o sistema. Entre meus conhecidos que assim fizeram, em São Paulo, descobri que se trata do orgulho de uma solução de autosuficiencia e não de retorno do investimento.

PS Os subsídios tributários, se considerados, reduzem a tarifa de R$ 1,5/kWh. A fragilidade fiscal do país não recomenda tomar este benefício como liquido e certo em longo prazo.


Rooftop solar feasibility in Brazil

A photovoltaic energy system requires about R$ 6 000/kW (1 USD = R$ 3,9) installed in investments.

Considering a period of 5 years of amortization and a rate of remuneration (compound interest) for the invested capital of 1.5% per month (to cover the country risk), it is equivalent to saying that it will be necessary to generate a monthly savings of R$ 150 per month for each installed kW.

Since a kW of solar panels produces about 100 kWh of electricity per month, it means that the cost of the amortization of the investment will be R$ 1.5/kWh delivered.

Bottom line: the solar system becomes feasible if the consumer pays for electric energy above R$ 1.5/kWh.

Nothing prevents someone serviced by a concessionaire who charges rates lower than R$ 1.5/kWh to install the system. Among my acquaintances who did so, in São Paulo, I discovered that they are proud of a solution of self-sufficiency and not concerned about the return of the investment.

PS tax subsidies, if considered, reduce the break-even (R$ 1,5/kWh). However the country’s fiscal fragility does not recommend taking this as a “sure” benefit in the long run.


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.