Uma das mais importantes hidrelétricas do País completa meio século de operação envolvida em um projeto de modernização inédito no setor.

No último dia 14 de abril, a Usina Jupiá, uma das mais importantes do País, comemorou 50 anos de operação olhando para o futuro.

A usina, localizada no rio Paraná, na divisa do estado de São Paulo com o Mato Grosso do Sul, entre Castilho (SP) e Três Lagoas (MS), está passando por um processo de modernização sem precedentes na história do setor elétrico brasileiro, junto com a Usina Ilha Solteira. As duas hidrelétricas são operadas pela CTG Brasil.

Serão R$ 3 bilhões investidos, no prazo de dez anos, para reformar 34 unidades geradoras – 14 de Jupiá e 20 de Ilha Solteira. O projeto também inclui toda a parte de automação e um novo Centro de Operação da Geração (COG), entre outras melhorias que visam trazer mais confiabilidade para o sistema elétrico do País.

“O projeto de modernização reforça nosso compromisso de longo prazo com o País, pois vamos entregar para a sociedade brasileira dois ativos novos, modernos e com vida útil para operar com disponibilidade e segurança pelos próximos 30 anos”, diz o vice-presidente de Geração e Comercialização da CTG Brasil, Evandro Vasconcelos, que também destaca o importante trabalho de cooperação entre profissionais brasileiros e chineses.

Histórico

Com 1.551,2 MW de capacidade instalada, a Usina Jupiá gerou, desde o início da operação pela CTG Brasil, em 1º de julho de 2016, 20.954.183 megawatts hora (MWh), energia suficiente para atender a uma cidade de cerca de 2,6 milhões de habitantes por todo esse período.

O reservatório da usina ocupa uma área de 330 quilômetros quadrados, banhando sete municípios ao longo de 541 quilômetros. O lago vai além da finalidade principal de assegurar água para a geração de energia, e colabora para impulsionar o turismo na região, por meio de atividades náuticas, de pesca e lazer.

A usina Jupiá passou a ser operada e administrada em 2016 pela CTG Brasil, que pagou ao governo brasileiro a outorga de R$ 4,67 bilhões pela concessão de 30 anos. A usina Ilha Solteira foi arrematada no mesmo leilão, por R$ 9,13 bilhões. Juntas, as duas usinas compõem o maior complexo hidrelétrico das regiões Sudeste e Centro-Oeste, com capacidade total instalada de 4.995,2 MW.

Comunidade

Para fortalecer relacionamentos duradouros com as comunidades do entorno, a CTG Brasil participa de diversos projetos de educação, cultura e de incentivo ao esporte. Em 2018, essas iniciativas beneficiaram mais de 600 mil pessoas. O investimento em ações para 2019 já ultrapassa R$ 8,8 milhões, sendo que uma parte considerável desse valor será usada para financiar projetos na região de Jupiá e Ilha Solteira.

“O bem-estar das pessoas que vivem próximas às usinas estão entre as nossas prioridades. Buscamos participar da vida dessas comunidades de forma positiva, levando cultura, lazer, qualidade de vida e desenvolvimento por meio de projetos que estejam aderentes aos nossos valores”, explica Salete da Hora, diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da CTG Brasil

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *