Leilão de energia para Roraima contrata nove projetos, totalizando R$ 1,6 bi de investimentos

Certame foi realizado nesta sexta-feira (31/5) em São Paulo

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) realizaram nesta sexta-feira, 31/5, em São Paulo, o Leilão de Geração 01/2019, para suprimento a Boa Vista e localidades conectadas, com negociação total de 263,5 MW  para fornecimento a partir de 28 de junho de 2021, envolvendo investimentos de R$ 1,62 bilhão.

Ao todo, foram nove soluções de suprimento contratadas, com preço médio de R$ 833 por MWh, com deságio médio de 22,7% em relação ao preço inicial de R$ 1.078,00 por MWh. Entre os vencedores estão sete projetos de fontes renováveis, que incluem usinas solares fotovoltaicas, a biomassa e biocombustíveis.

“O resultado do leilão, um trabalho conjunto da ANEEL, com o Ministério de Minas e Energia e a CCEE, eleva o estado de Roraima a um novo patamar no que diz respeito à segurança elétrica. além do mais, não podemos deixar de ressaltar que, com investimentos da ordem de R$1,6 bi de reais, isso vai levar desenvolvimento, emprego e fomentar a economia do estado”, disse o diretor-geral da ANEEL, André Pepitone, ressaltando que “a segurança energética do estado de Roraima só será plenamente concluída quando avançarmos com a interconexão Manaus-Boa Vista (linhão de Tucuruí)”.

Foram negociados Contratos de Comercialização de Energia nos Sistemas Isolados (CCESIs) diferenciados por tipo de produto e fonte primária de energia, com diferentes prazos de vigência.

“A realização desse leilão é um marco histórico para o estado de Roraima. O estado contará, a partir de junho de 2021, com um atendimento elétrico confiável, com a geração local e a linha que interligará Roraima ao Sistema Interligado Nacional. Isso atrairá indústrias para o Estado, proporcionando melhor qualidade de vida à população”, disse o diretor da ANEEL Sandoval Feitosa, relator do leilão.

O leilão foi acompanhado pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, além do governador de Roraima, Antônio Denarium, e parlamentares do Estado.

Considerando o produto “Potência” para gás natural ou renovável, ou composição delas, com prazo de vigência dos contratos de 15 anos, foram negociados 225,4 MW de disponibilidade de potência, para uma receita fixa total de R$ 778,6milhões/ano.

No produto “Potência” para quaisquer outras fontes que não sejam gás natural ou renovável, com contratos de 7 anos, foram negociados 38,1 MW de disponibilidade de potência.

A diretora da ANEEL Elisa Bastos, também presente ao leilão, disse que a sistemática do certame contribuiu para o bom resultado.  “Foi uma sistemática totalmente inovadora. Não havia até então uma diretriz que avaliasse a contratação de potência e, em um segundo momento, de energia”, disse.

“Com o resultado do leilão, alcançamos dois objetivos importantes, que é garantir o suprimento da região e reduzir os custos com energia, beneficiando todos os consumidores brasileiros com a redução dos gastos da Conta de Consumo de Combustíveis”, disse o presidente do Conselho de Administração da CCEE, Rui Altieri.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *