Dado o tamanho da carga dos veículos elétricos a ser atendida. em escala nacional, vejo que os desafios e oportunidades mais importantes estão associados a (a) custo marginal de operação (CMO) e (b) custo marginal de expansão ( CME).

• CMO é um sinal emanado pelo mercado de energia (operador nacional do sistema) que reflete um equilíbrio de curto prazo entre oferta e demanda.

• CME é o valor percebido (pelos investidores) da adição de capacidade de geração e/ou transmissão e/ou distribuição de energia elétrica.

Vejo duas “correntes”:

1) Uma lista de programas estará sempre presente em função dos sinais de curto prazo (CMO). O conceito é simples, robusto e comprovado: sempre que for possível aumentar o fator de carga do sistema, haverá um custo de energia muito competitivo disponível se a regulação viabilizar a captura das oportunidades associadas pelos usuários de energia (industrial, comercial, residencial e EVs).

2º) Os investidores avaliarão continuamente as opções relacionadas à energia para aumentar o lado da oferta (CME). Aposto que uma enorme variedade de soluções estará presente “dentro da cerca” do cliente (geração / cogeração distribuída, eficiência energética, portfólio de fontes de energia etc.) até as “fora da cerca” (conexões de alta tensão, etc.) e centralizadas, usinas clássicas que variam de hidrelétricas, combustíveis, eólicas, solares etc.)

O mercado – na perspectiva do cliente – adora “sob demanda”, em oposição às soluções tradicionais “baseadas em propriedade de ativos”. Portanto, formatos de negócios estruturados serão vitais “para este novo cenário”.


Power trends Brazil

Given the size of the aggregated EV load. on a national scale, in many countries around the globe and specifically in the US, I see that the most important challenges and opportunities by EVs are associated with (a) marginal cost of operation (MCO) and (b) marginal cost of expansion (MCE).

• MCO is a signal emanated by the power market (usually it is the independent system operator) that reflects a short term balance between supply and demand.

• MCE is the perceived value (by investors) of adding a MW capacity of generation and/or transmission and/or distribution of electric energy.

In my opinion:

1st) A list of programs will be always there as a function of the short term signals (MCO). The concept is simple, robust and well-proven: whenever it is possible to increase the system’s load factor there will be a very competitive power cost available if regulations make it feasible for the energy users (industrial, commercial, residential and EVs) to capture them.

2nd) Investors will continuously evaluate energy related options to increase the supply side (MCE). I bet that a huge variety of solutions will be there from on-site (distributed generation/cogeneration, energy efficiency, portfolio of energy sources, etc.) to to-the-fence ones (higher voltage connections, etc.) and centralized, classical power plants ranging from hydro, fuel based, wind, solar farms, etc.)

The market -from the customer’s prospective – loves “on-demand” as opposed to the traditional “asset based” solutions. So structured business formats are only but vital in this new scenario.


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *