No Brasil, as tarifas horo sazonais foram criadas há décadas. Por muito tempo estiveram bem ajustadas à curva de demanda nacional, que apresentava um pico no início da noite, de relativamente curta duração.

Há alguns meses, o que se verifica é uma mudança no perfil desta curva: O pico dura muito mais horas. Possivelmente variará também de estação para estação.

As tarifas precisam ser ajustadas para a nova realidade. Devem sinalizar inequivocamente o custo real da energia conforme o horário. Viabilizam assim que demandantes de energia busquem a melhor alocação de consumo e, ofertantes se interessem em ampliar a capacidade de toda a cadeia de valor sempre embasados em dados firmes, consistentes e corretos.

Se assim não for, ou seja se o regulador e o operador do nacional do sistema mantiverem as atuais definições de ponta e fora de ponta, haverá um reforço perverso de consumo nos horários oficialmente tidos como fora de ponta mas que se tornaram de ponta.

E o pior: os custos aumentarão e serão repassados, de uma forma ou de outra, para todos consumidores. A energia elétrica brasileira já é a mais cara entre os BRICS.

Está na hora de acordar!


TOU rates must change in Brazil

Time of use rates were created decades ago. For a long time they were well adjusted to the national demand curve which had a relatively short peak in the early evening.

Currently there is a new profile for this curve: The peak lasts much longer. Possibly it will also vary from season to season.Tariffs need to be adjusted accordingly.

TOU must unequivocally signal the actual costs of energy according to the hours of the day. They make it possible for energy demanders to seek the best allocation of consumption and suppliers to be interested in expanding the capacity of the entire value chain, always based on firm, consistent and correct data and regulations.

f this is not the case, if the regulator and the system operator maintain the current definitions of on-peak and off-peak hours, there will be a perverse reinforcement of consumption at times of the day officially considered as off-peak but that have become on-peak.

And most importantly: costs will increase and be passed on, for sure, to all consumers. Brazilian power cost is already the most expensive among the BRICS (Brazil, Russia, India, China and South Africa).

It’s high time to wake up!


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *