PONTOON-E | O CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) autorizou a Taesa, a concluir a aquisição do controle acionário da Rialma Transmissora de Energia I S.A., cuja concessão para a exploração dos serviços de transmissão de energia foi realizada no Leilão 005/2016.

Com a conclusão da operação, a Taesa para a ser responsável pela exploração da LT 230 kV Lagoa Nova II – Currais Novos II, localizada no Rio Grande do Norte, adicionando RAP (Receita Anual Permitida) de R$ 12,6 milhões (R$ 11,5 milhões à época do Leilão) anuais ao faturamento da companhia. O aval do CADE foi publicado nesta quinta-feira, 26 de setembro, no Diário Oficial da União (DOU).

Segundo justificativa econômica apresentada ao CADE pela Taesa, a operação faz parte da estratégia da companhia de expandir o negócio de transmissão, sobre tudo no estado do Rio Grande do Norte. Para a RC Administração de Participações, atual controladora da Rialma, a operação visa reciclar capital para futuras rodadas de investimento, além de redução de sua alavancagem financeira e endividamento. O valor da operação não foi revelado.

Abaixo disponibilizamos um resumo da avaliação realizada pela PONTOON-E da Rialma Transmissora de Energia I S.A.Esta avaliação e outras 326 podem ser encontradas em nosso site.

Acesse: https://pontoon-e.com/valuation-model/

PONTOON-E | Avaliação da Rialma Transmissora de Energia I S.A.

Chesf põe fim a litígio

O CADE também aprovou a proposta de transferência de 51% das ações da transmissora Delmiro Gouveia (TDG), de posse da ATP Engenharia, para a estatal Chesf, que agora passará a ser detentora de 100% da participação acionária da TDG. A operação põe fim ao litígio societário iniciado em 2014 entre as partes. Esse litígio deu origem a medidas judiciais por ambas as acionistas, bem como na instauração de um procedimento arbitral perante a Câmara de Arbitragem do Mercado (CAM) – Bovespa.

Em 14 de dezembro de 2018, as acionistas firmaram acordo com o objetivo de finalizar o litígio instaurado, bem como prevenir novos litígios, mediante uma reestruturação societária da TDG, que culminaria com a transferência da totalidade das ações ordinárias de posse da ATP para a Chesf.

A TDG é responsável por implantar, manter e operar as instalações de transmissão compostas pela LT 230 kV, circuito simples, com extensão aproximada de 36 km, entre as subestações São Luís II e São Luís III, no estado do Maranhão, pela subestação Pecém II e subestação Aquiraz II, localizadas no estado do Ceará.

São também de responsabilidade da TDG os trechos de linha de Transmissão em 500KV compreendidos entre o ponto de seccionamento da LT Sobral III/Fortaleza II C1 e C2 e a subestação de Pecém II, e dos trechos de LT 230 kV compreendidos entre o ponto de seccionamento da LT Banabuiú/Fortaleza e a subestação de Aquiraz. O contrato de concessão foi assinado em julho de 2010.

Por Wagner Freire

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *