Estamos no inverno, mas a virada de junho para julho será com pouco frio nos estados da Região Sudeste. A uma grande massa de ar seco predomina sobre o Brasil e vem causando um bloqueio na atmosfera que tem dificultado a passagem do ar frio polar da Argentina para o Brasil. A chuva das frentes frias está sendo retida no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

Cavado atmosférico

Neste fim de semana, um cavado atmosférico passa sobre a Região Sudeste facilitando a formação de algumas nuvens, mas com pouca umidade disponível, a maior parte das nuvens não vai conseguir provocar chuva e nem esconder o sol.

O cavado é apenas uma ondulação no fluxo do vento, no sentido horário. Neste caso, a previsão é que esta ondulação ocorra em um nível médio da atmosfera, em torno de 5000 metros de altitude.

Ar seco

Com a umidade do ar baixa, poucas nuvens conseguem se formar e a maioria das áreas da Região Sudeste tem um fim de semana com muito sol e sem condições para chuva. Mas atenção com o ar muito seco, que prejudica a saúde especialmente das pessoas que já têm problemas respiratórios.

Os menores índices de umidade no ar devem ser observados entre o norte de São Paulo e Triângulo Mineiro, onde a umidade relativa do ar pode ficar um pouco abaixo dos 20%. A Organização Mundial da Saúde recomenda um nível mínimo de 60% de umidade no ar para o conforto humano.

Onde pode chover?

A circulação de ventos vai concentrar umidade no fim de semana no litoral do Espírito Santo, onde muitas nuvens se formam e pode chover fraco no fim de semana. Há possibilidade de chuva também na Grande Vitória.

Outra área que pode ter um pouco de chuva, mas só no domingo, é o sul de São Paulo, por causa da expansão de áreas de instabilidade da Região Sul do Brasil. Mas a chuva não chega até a Grande São Paulo, que continua com sol e ar seco no fim de semana.

A região das capitais Belo Horizonte e Rio de Janeiro, o fim de semana de virada de junho para julho promete sol forte e até calor à tarde. Belo Horizonte está sem chuva há 40 dias. No Rio de Janeiro, a nebulosidade deve aumentar um pouco mais no domingo, mas sem previsão de chuva.

 

Noites frias

Mesmo sem a presença de ar polar, as noites ficam um pouco frias no Sudeste. Isto ocorre por causa da grande perda de calor que acontece naturalmente com a pouca nebulosidade durante a noite.

Nas cidades serranas do Rio de Janeiro e do Sul de Minas, a temperatura na madrugada pode ficar até abaixo dos 10°C. Veja como fica a temperatura em Monte Verde.

 

Ouvir estrelas

Na falta de nuvens e de chuva, aproveite o tempo seco para apreciar uma belíssima lua cheia. A baixa umidade no ar é uma condição especialmente boa para a observação noturna do céu, pois reduz a cintilação. Este é um fenômeno que faz com que, quando olhamos para as estrelas e os planetas,  a luz que vem deles aparente ter muitas pontas.

Os astrônomos adoram as noites secas do inverno justamente porque o céu fica quase sem nuvens e o efeito de cintilação diminui bastante.

 

Então, aproveite o fim de semana com temperatura agradável e ar seco para “ouvir e conversar” com as estrelas, como disse o poeta Olavo Bilac (1965-1918, nascimento e morte na cidade do Rio de Janeiro), no famoso poema Via Láctea, trecho XIII, “Ouvir estrelas”

 

“Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso! E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto,
E abro as janelas, pálido de espanto…

E conversamos toda a noite enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E ao vir do Sol, saudoso e em pranto
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: “Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Têm o que dizem, quando estão contigo?”

E eu vos direi: “Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas.”

(fonte: brasilescola.uol.com.br)

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *