A S&P Global Ratings atribuiu nessa sexta-feira, 14 de setembro, o rating ‘brAA+’ na Escala Nacional Brasil à terceira emissão de debêntures senior unsecured da Equatorial Energia S.A. (“Equatorial”).

jplenio / Pixabay

O rating desta emissão está um degrau abaixo do rating de crédito corporativo de longo prazo na Escala Nacional Brasil da Equatorial, como resultado da subordinação estrutural da dívida da holding em relação aos passivos prioritários que as subsidiárias operacionais possuem em seus balanços. As dívidas dessas empresas representam aproximadamente 80% do endividamento total do grupo.
Segundo a S&P, apesar de reconhecer a recorrente melhora da geração de caixa das distribuidoras do grupo – Centrais Elétricas do Pará S.A. (Celpa: brAAA/Estável/–) e Companhia
Energética do Maranhão S.A. (Cemar; não avaliada) – o rating da Equatorial reflete a expectativa que os indicadores de crédito do grupo deverão apresentar alguma deterioração nos próximos anos, devido aos compromissos assumidos para realização de aproximadamente R$ 6,3 bilhões em investimentos entre 2019 e 2020, para construir as linhas de transmissão arrematadas em leilão, e também para melhorar a eficiência operacional dos ativos de distribuição, incluindo a Companhia Energética do Piauí S.A., a Cepisa, a distribuidora recentemente adquirida da Eletrobrás pelo grupo, que ainda não recebeu a avaliação de risco de crédito da agência.
Apesar de mencionar a possível deterioração de alguns indicadores, a S&P acredita que a  Equatorial deverá se beneficiar da expansão em curso, e por contar com flexibilidade financeira suficiente para manter seu índice de dívida líquida sobre EBITDA abaixo de 4,75x, considerando ajustes incluidos pela S&P Global Ratings, conforme projetado em no cenário-base de avaliação dos ratings, sem comprometer seu perfil de liquidez.
A terceira emissão de debêntures da Equatorial será no valor de R$ 610 milhões em uma série e com amortização final seis anos após a data de emissão. Os recursos serão utilizados principalmente para fins de refinanciamento.
O comunicado à imprensa da S&P, que inclui critérios e metodologias aplicados, pode ser acessado através desse link.


 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *