Home>Price & Strategy>Clima>São Paulo está tendo o fevereiro mais seco em 57 anos
Clima Price & Strategy

São Paulo está tendo o fevereiro mais seco em 57 anos

Cadê a chuva de fevereiro na cidade de São Paulo? Onde foram parar os temporais? Estas perguntas andam na cabeça de muitos moradores da cidade de São Paulo. Está faltando chuvarada e calor neste fevereiro, o que tem feito muita gente dormir até com um cobertor leve em algumas noites.

Alguns estão adorando o fevereiro ameno e seco, outros reclamando. O fato é que, faltando 8 dias para terminar o mês, fevereiro de 2018 está sendo o mais seco em 57 anos, desde 1961. O total de chuva acumulado em 19 dias fevereiro na estação meteorológica o Mirante Santana monitorada pelo Instituto Nacional de Meteorologia, localizada no bairro de Santana, na zona norte da capital, foi de míseros 15,1 mm. A média de chuva para fevereiro é elevada, cerca de 220 mm, sendo fevereiro um dos meses mais chuvosos na cidade de São Paulo.

10 fevereiros mais secos em São Paulo de 1961 a 2017

Se fevereiro terminasse hoje, com apenas 15,1 mm acumulados este mês, fevereiro de 2018 seria o mais seco em 57 anos. Para que fevereiro de 2018 snão entre na lista dos 10 mais secos é preciso que chova muito até o fim do mês, pelo menos 150 mm na região do Mirante de Saanta. Mas esta possibilidade é baixa.

cidade de São Paulo é muito grande e as medições meteorológicas no Mirante Santana, na zona norte da capital, são representativas apenas de uma pequena parte da cidade.

Porém, outra forma de analisar a quantidade de chuva e de temporais é pelos alagamentos ocorridos na cidade. O histórico disponível no site do Centro de Gerenciamentos de Emergências da Prefeitura confirma a falta de chuva forte sobre a cidade São Paulo em fevereiro de 2018. Desde o início do mês foram registrados apenas 2 alagamentos, os dois intransitáveis e no dia 10 de fevereiro.

Por que faltou chuva?

A explicação para a falta de chuva de fevereiro está relacionada com o tipo de sistema meteorológico que vem predominando sobre São Paulo desde em fevereiro de 2018. Desde o inicio do mês, a capital paulista tem sido influenciada principalmente por sistemas de alta pressão atmosférica, em diversos níveis de altitude. As altas pressões reduzem o tamanho e quantidade de nuvens sobre um local, o que dificulta a ocorrência dos temporais, mesmo quando temos calor.

Altas pressões também deixam o ar mais seco e isto é outro fator que inibe a formação das grandes nuvens que podem provocar temporais.

Durante vários dias em fevereiro de 2018, ventos frios gerados por altas pressões polares que ficaram sobre o mar, predominaram sobre São Paulo e esfriaram a atmosfera. Os ventos destas altas pressões polares trouxeram ar úmido do oceano, mas frio. O resultado foi a formação de névoa em muitas manhãs e noites, as nuvens acinzentadas que provocaram chuva leve e garoa.

Previsão de chuva

Esta é uma semana em a cidade de São Paulo, e muitos outros locais do estado de São Paulo, pode ter alguns temporais. Grandes e fortes áreas de instabilidade crescem sobre a Região Sul do Brasil, no Paraguai e em Mato Grosso do Sul e parte destas nuvens carregadas avançam sobre São Paulo. Além disso, outras nuvens como estas podem crescer dentro da própria área da cidade São Paulo por causa do ar úmido e quente que predomina por quase toda a semana.

A expectativa é de pancadas de chuva e risco de chuva forte até a quinta-feira, 22 de fevereiro. Mas a partir da sexta-feira, 23 de março, e até o fim do mês, as condições para chuva e temporais diminuem bastante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *