CanalEnergia (Redação) | O Palácio do Planalto publicou nesta quinta-feira, 12 de  abril, a exoneração a pedido de Paulo Pedrosa como secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia. O executivo deixou oficialmente o MME no último dia 6, segundo o decreto de exoneração que está no Diário Oficial da União. Seu substituto será Márcio Felix, que ocupava o cargo de Petróleo e Gás.

O pedido foi encaminhado ao presidente Michel Temer pelo então ministro Fernando Coelho Filho, ao entregar a própria carta de demissão. Coelho vai disputar um novo mandato como deputado federal por Pernambuco. Entre as baixas com o desligamento de Pedrosa estão assessores próximos a ele e Luiz Augusto Barroso, que deixou a presidencia da Empresa de Pesquisa Energética. O substituto definitivo de Barroso ainda não foi nomeado.

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53057723/sai-decreto-de-exoneracao-de-paulo-pedrosa

As saídas de Paulo Pedrosa e de Luiz Augusto Barroso do MME e da EPE, respectivamente, representam uma baixa importante para o setor elétrico brasileiro neste momento. Ambos, seguindo diretriz implementada pelo ex-ministro Fernando Coelho Filho, foram responsáveis diretos pela recuperação da credibilidade e pela melhora da percepção de risco dos agentes e investidores do setor.

Nestes quase dois anos,é inegável os avanços alcançados tanto na esfera dos leilões de energia nova, quanto na redução das amarras para o desenvolvimento do mercado livre de energia. Contudo, vemos a eliminação da ingerência política na condução do setor, como o principal legados destes profissionais, liderados pelo ex-ministro Fernando Coelho.

As sementes para o desenvolvimento de um novo setor elétrico brasileiro foram lançadas, mas os frutos somente poderão ser colhidos se o novo governo, a ser eleito em 2018, continuar aprofundando as reformas já iniciadas.

Privatização da Eletrobras – que vem sendo conduzida com competência pelo seu presidente (Wilson Ferreira), ampliação do mercado livre, modernização do modelo de preço de energia e continua redução da ingerência política e estatal no setor são os pilares para destravar o forte interesse dos investidores no setor e alavancar os investimentos.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *