Mas é possível evitar a situação se as políticas deixarem , de acordo com o estudo

Revelado ontem, 8/10, na China, um importante relatório extraído de um painel científico da ONU sobre a mudanças climáticas da terra desenha um panorama muito mais rígido sobre as consequências imediatas da mudança no clima do que se imaginava. O estudo confirma que para evitar danos sérios ao planeta requer  a transformação da economia mundial em velocidade e escala para as quais “não existem precedentes documentados”.

O relatório anunciado pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), por um grupo de cientistas encarregado pela ONU de orientar os líderes mundiais, descreve um mundo no qual a escassez de comida e os incêndios nas matas se agravarão, e recifes de corais morrerão em escala maciça já em 2040, isto quer dizer, dentro da expectativa de vida de boa parte da população mundial.

O relatório “é um grande choque, e muito preocupante”, disse Bill Hare, autor de relatórios anteriores do IPCC e físico da Climate Analytics, uma organização de pesquisa sem fins lucrativos. “Não estávamos cientes disso há poucos anos”. O relatório foi o primeiro a ser solicitado pelos líderes mundiais sob o Acordo de Paris, um pacto de combate ao aquecimento global assinado por dezenas de países em 2015.

 

Veja a matéria completa publicado pelo The New York Times na Folha de São Paulo:

https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2018/10/ha-forte-risco-de-crise-climatica-ja-em-2040-aponta-relatorio-da-onu.shtml


 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *