Após o corte na Carga realizado pelo ONS (Operador Nacional do Sistema) na última quarta-feira (30/5), motivado pelo impacto da greve dos caminhoneiros no consumo de energia na última semana, o consumo/carga voltou a surpreender, desta vez positivamente.

De acordo com o Informativo Preliminar Diário da Operação (IPDO) publicado pelo ONS, a carga verificada nos dias 31, 01, 02 e 03 de junho ficou bem acima da carga programa pelo ONS, indicando não apenas um desvio importante, mas possivelmente uma tendência mais concreta de recuperação da atividade econômica com o fim da greve dos caminhoneiros.

Uma rápida análise dos últimos quatro dias revela que a diferença entre a carga programada pelo ONS e a carga verificada foi de ~2,8 GW médios. No dia 31/05 (quinta-feira), primeiro dia em que foi observada este evento, a diferença foi de 2,1 GW médios. Importante destacar que esta diferença cresceu ao longo dos primeiros dias de junho – 01/Jun: 2,9 GW médios; 02/Jun: 3,2 GW médios; e 03/Jun: 2,9 GW médios -, na medida em que as restrições impostas pela greve de caminhoneiros à indústria começaram a se dissipar.

Fonte: ONS e Pontoon-e

A questão que se apresenta agora é: Qual será o impacto deste evento no preço da energia?

Acreditamos que este evento já está parcialmente embutido nos preços dos contratos negociados na BBCE, entretanto ainda vemos espaço para altas adicionais no preço da energia principalmente nos contratos mais curtos (Jun/18, Jul/18 e Ago/18) para o submercado SE/CO. O contrato para entrega de energia em Jun/18 ainda está negociando com um deságio grande (R$77/MWh) em relação à nossa estimativa de preço de energia para junho (R$434/MWh).

Pontoon-e: Dispersão Preço (R$/MWh)Fonte: BBCE, Pontoon-e e EIG

Vai Chover?

A análise dos mapas de previsão de precipitação para o período de 05 a 14/Junho efetuados pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos/Instituto Nacional de Pesquisas Espacias (INPE/CPTEC) e previstas a partir do modelo de previsão ETA para os próximos 10 dias apontam para uma hidrologia recessiva em praticamente todos os subsistemas.

Para a semana de 02 a 08/Junho a atuação de sistemas de baixa pressão na região Sul ocasiona chuva fraca nas bacias dos rios Jacuí, Uruguai, Iguaçu, Paranapanema, Tietê, no trecho incremental a UHE Itaipu e em pontos isolados do Grande. A previsão mensal para junho indica a ocorrência de afluências abaixo da média histórica para todos os subsistemas.

A expectativa de ENAs para a semana de 02 a 08 de junho é a seguinte: (i) SE (80% da MLT); (ii) S (39%); (iii) NE (41%); e (iv) N (109% da MLT). Já para o mês de junho as projeções apontam para SE/CO (77% da MLT), S (61%), NE (39%) e N (84%).

Como resultado deste cenário bem adverso os preços deverão continuar pressionados no curto prazo, principalmente nos contratos de Jun/18, Jul/18 e Ago/18.

Mapa de Chuva: NCEP/GEFS & INPE/CPTEC (05/Maio a 14/Junho)


 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *