Quem precisa da ANEEL?

O Brasil apresenta a energia mais cara medida em USD/kWh entre os BRICS, que são nossas referencias de países emergentes com quem competimos.

O setor elétrico cobra impostos sem paridade internacional, os indicadores de qualidade estão sistematicamente abaixo do exigido (interrupções não planejadas em horas/ano), os “gatos” continuam nas alturas (dezena de porcento), o programa de resposta á demanda não saiu do papel, a CCEE deve bilhões ao mercado, subsídios são “concedidos” usando o bolso dos clientes e a lista vai longe!

Claro, todas as regulações passam por procedimentos envolvendo rituais detalhadamente previstos, Ocorre que – de fato – no Brasil, o Governo e os Ofertantes tem o maior peso nas decisões. Os demandantes de energia, os clientes da cadeia de valor do setor elétrico, praticamente não “apitam nada”.

Então, na vida real as chances desta situação mudar são ínfimas. Fica a pergunta que dá título a este post. Na ótica dos clientes, o sistema posto funciona como uma “reserva de mercado” do Governo e dos Ofertantes. É uma ditadura – muito mal – disfarçada de democracia.


Brazil: Who needs ANEEL (regulator)?

Brazil has the most expensive power cost measured in USD/kWh among the BRICS, which are our references (emerging countries) with which we compete.

The electricity sector charges taxes without international parity, the quality indicators are systematically below the required (unplanned interruptions in hours/year), theft is still on high (more than ten percent), no demand response program is there, the power clearinghouse CCEE owes USD billions to the market, subsidies are “granted” using customers’ pockets and the list goes one!

Of course, all regulations go through procedures involving detailed rituals. It turns out that – in fact – in Brazil, the Government and the Supply side have the greatest weight in decisions. Energy consumers, customers in the value chain of the electricity sector, hardly have any say.

So in real life the chances of this situation changing are slim. From the customer’s point of view, the current system functions as a “market reserve” of the Government and the Supply side. It is a dictatorship disguised as democracy.


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *