Uma constatação sobre o mundo corporativo: a preferencia é sempre por previsibilidade. Claro! Facilita o planejamento e atingimento de metas. E assim, potencialmente todos ganham!

Quando levado ao limite, surge um efeito colateral perigoso. A falta de abertura para a criatividade.

Em uma boa parte das vezes em que o cliente me deu bandeira verde para investigar sobre oportunidades de redução de custos e mitigação de riscos na área de energia, descobri negócios que surpreenderam muito positivamente!

E a explicação é muito simples. Frequentemente:

1. Energia não é o negócio central do cliente. 

E assim não necessariamente há uma abordagem de profundidade

 2. A conta da energia não é uma “top” na lista de custos.

Decorre que não tem a mesma prioridade que outros.

3. Os diretores que cuidam da energia não tem intimidade com o assunto

Energia é um tema que definitivamente não é do gosto dos executivos

4. “O prato já está bem cheio”

Há uma tendência de considerar que já há bastante tarefas!

Mas… quem tiver a iniciativa, o desprendimento, a astúcia, a coragem e a determinação para descobrir surpresas positivas, muito provavelmente alcançará e manterá um êxito significativo.

Se você é um consumidor de energia ou um ofertante de soluções não deixe de prospectar esta oportunidade. Entre em contato e vamos abrir um novo caminho!


How about positive surprises?

The corporate world’s preference is always for predictability. Of course!  It facilitates the planning and achievement of goals. And so, potentially everyone wins!

When pushed to the limit, a dangerous side effect arises. Lack of openness to creativity. Most of the times when the client gave me the green flag to investigate cost reduction and risk mitigation opportunities in the area of ​​energy, I found deals that surprised in a very positive fashion.

The explanation is very simple. Often:

1. Energy is not the customer’s core business.

And so there is not necessarily a depth approach

 2. The energy bill is not a “top” in the cost list.

Therefore it does not have the same priority as other costs.

 3. VPs & Cs do have no intimacy with the subject

Energy is a topic that is definitely not of the taste of executives

4. “The plate is already full”

There is a tendency to consider that there are already enough tasks!

But … whoever has the initiative, detachment, cunning, courage, and determination to discover positive surprises will most likely achieve and maintain a significant success.

If you are an industrial/commercial/institutional energy consumer or solution provider be sure to look into this opportunity.

Let’s open a new path together!


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *