A falta de previsibilidade dos preços é uma marca registrada do setor elétrico brasileiro. As razões principais:

–  Capacidade nominal dos reservatórios das hidrelétricas é muito pequeno para atender o sistema integrado nacional (SIN)

–  Custo da energia térmica produzida – sempre que as hiudrelétricas não dão conta sozinhas da demanda – é muito elevado

–  As chuvas que abastecem os reservatórios das hidrelétricas tem variado muito de ano a ano

–  Os “gatos” (roubo de energia elétrica) são importantes, representando uma parte nada desprezível do consumo nacional

–  O aumento da participação das fontes intermitentes (solar e eólica) trazem um custo adicional, novo, e que é arcado pelo SIN

–  A falta de programas oficiais, estratégicos, para aumentar a eficiencia do SIN é uma triste realidade vis-à-vis uma lista de paises

E assim o consumidor brasieliro, empresarial e institucional, precisa lidar com esta dura realidade tupiniquim. E aqui vão exemplos de ferramentas de gestão de riscos que merecem ser considerados:

–  Portfólio de fontes para tornar o conjunto mais robusto (que a tradição brasileira de apenas contratar aquela mais competitiva no momento da consulta de preços)

–  Modelagem de preços mais aberta como por exemplo o collar no caso da energia elétrica (piso, teto e entre eles o spot + ágio)

– Controle e gerenciamento de energia em tempo real aproveitando o leque de oportunidade visando minimização de seus custos

Você certamente se impressionará com as oportunidades que existem mas dependem de você descobrí-las !


How to contract robust energy prices?

The lack of price predictability is a trademark for the Brazilian electricity sector. The main reasons:

–  Nominal capacity of the hydroelectric reservoirs is too small to meet the national integrated system (SIN)

–  Cost of the thermal are very expensive whenever the hydro are not enough

–  The rains that fee the reservoirs of the hydroelectric plants have varied a lot from year to year

–  Theft of electricity is very important, representing an insignificant part of the national consumption

–  The increase in the participation of intermittent sources (solar and wind) brings an additional cost, new, and that is covered by SIN

–  The lack of official, strategic programs to increase the efficiency of SIN is a sad reality vis-à-vis a list of countries

And so Brazilian corporate or institutional energy users, must deal with this harsh reality. And here are examples of risk management tools that deserve to be considered:

–  Portfolio of sources to make the aggregate more robust (than the Brazilian tradition of only contracting the most competitive one at the time of price consultation)

–  New price modeling such as the collar in the case of electric power (floor, ceiling and between them the spot + spread)

–  Control and management of energy in real time taking advantage of the range of opportunities aiming at minimizing its costs

You will certainly be impressed by the opportunities that exist but it is up to you to discover and explore them !


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *