Se o Brasil possui abundância das fontes mais baratas do mundo (renováveis como água, sol, vento) seria de se esperar que o país fosse dos mais competitivos.

Os preços de mercado de longo prazo da energia elétrica (“commodity”) oferecida está na faixa de R$ 180/MWh. Este é o valor médio publicado, resultante da consolidação dos contratos celebrados entre compradores e vendedores de energia do país envolvendo os principais “players”.

Os custos de transmissão e distribuição devem ser adicionados ao da “commodity” para se chegar ao custo total, referido ao consumo. Chega-se a cerca de R$ 700/MWh.

Onde está o “pulo do gato” quanto a esta diferença sem paridade competitiva?

  • Subsídios
  • Impostos 
  • “Gatos”
  • Inadimplências
  • Burocracias (cartoriais)

Mas o mais intrigante é o fato de que não há iniciativas em curso para virar a mesa!


Why is energy cost the highest among the BRICS?

If Brazil has an abundance of the cheapest power sources in the world (renewable as water, sun and wind) one would expect the country to be the most competitive.

The long-term market prices of the commodity are in the range of USD 45/MWh. This is the average published value, resulting from the consolidation of contracts between buyers and sellers of energy in the country involving the main players.

Of course on top of the commodity cost, transmission and distribution cost (wire fees) have to be added. The total cost  paid by the energy users (power bill) is around USD 170/MWh.

Where is the “catch” about this difference?

  • Subsidies
  • Taxes 
  • Power theft
  • Delinquencies 
  • Bureaucracies 

But …the most intriguing is the fact that there are no ongoing initiatives to turn around this mess.


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *