Resumo do Dia

Em um dia marcado por declínio no volume de negócios (331,9 MW médios) e forte queda no preço da energia, a BBCE inicia a semana mais uma vez cercada de incerteza quanto a manutenção ou não desta atual tendência de queda.  O Índice Pontoon-e de Energia, composto pelos oito contratos acompanhados pela Pontoon-e na BBCE, caiu -8,7% (média ponderada) nesta segunda-feira (22/10), com o índice atingindo 60,1 pontos. Esta queda foi impulsionada pelos contratos de Dez/18 (-10,9%), Jan/19 (-8,4%), Nov/19 (-7,9%) e 1º Tri/19 (-4,6%). O contrato de Dez/18 foi novamente o mais negociado do dia com 171,0 MW médios, ou 53,0% do volume total negociado.

O mercado permanece em uma espiral decrescente, com os preços refletindo por um lado a real melhora da afluência nos submercados sul e sudeste e por outro a busca dos “traders” em reduzir suas posições compradas.  Este movimento, iniciado pelo alteração do cenário hidrológico de curto prazo, tem se intensificado com a proximidade do período úmido e pela estratégia de venda agressiva adotada pelos “traders” com o intuito de reduzir a exposição e com isso “evitar perdas muito pesadas a qualquer custo”. Nestes momentos a melhor estratégia é seguir fora, ou aguardar o esgotamento deste movimento de“risk aversion”

Pontoon-e | Variação do Índice Pontoon-e de Energia (Var. %) 
 
Fonte: Pontoon-e e BBCE

Pontoon-e | Evolução do Índice Pontoon-e de Energia (Pts.) 
 
Fonte: Pontoon-e e BBCE

A BBCE voltou a registrar queda no volume de negócios (-30,6%) nesta segunda-feira, tendo como principais responsáveis por este decréscimo os contratos para o 1º Tri/19,  que passou de 122,2 MW médios registrados no dia 19/10 para 52,6 MW médios, e Dez/18, que recuou de 220,1 MW médios para 171,0 MW médios. O volume negociado dos oito contratos acompanhados pela Pontoon-e somou 331,9 MW médios (478,5 MW médios no dia anterior), ficando abaixo tanto da média dos últimos cinco dias (391,6 MW médios), quanto da média do mês de outubro (413,8 MW médios).

Pontoon-e | Volume Negociado na BBCE dos Oito Contratos (MW Médios) 
 
Fonte: Pontoon-e e BBCE

Dos oitos contratos negociados na BBCE e acompanhados pela Pontoon-e referentes ao submercado SE/CO (Out/18, Nov/18, Dez/18, Jan/19, 4º Tri/18, 1º Tri/19, 2º Tri/19 e 1º Sem/19) sete contratos registraram negócios nesta segunda-feira (Out/18, Nov/18, Dez/18, Jan/19, 1º Tri/19, 2º Tri/19 e 1º Sem/19).

O Índice Pontoon-e de Energia voltou a registrar forte queda (-8,7%), com todos os contratos negociados encerrando o dia no campo negativo. Os destaques negativos foram Dez/18 (-10,9%), Jan/19 (-8,4%), Nov/19 (-7,9%), 1º Tri/19 (-4,6%) e 2º Tri/19 (-3,3%), que encerraram o dia cotados a R$114/MWh (-R$14/MWh), R$126/MWh (-R$12/MWh), R$123/MWh (-R$11/MWh), R$130/MWh (-R$6/MWh) e R$163/MWh (-R$6/MWh).

BBCE | Preço dos Contratos de Energia SE/CO (R$/MWh) 
 
Fonte: Pontoon-e e BBCE

Vai Chover?

A análise dos mapas de previsão de precipitação para o período de 24 a 02 de novembro efetuados pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos/Instituto Nacional de Pesquisas Espacias (INPE/CPTEC) e previstas a partir do modelo de previsão ETA para os próximos 10 dias indicam para o início da próxima semana o avanço de uma frente fria pelo litoral sul da Bahia ocasionando chuva fraca nas bacias dos rios São Francisco, Tocantins e em pontos isolados do Paranaíba.

No decorrer da semana, mais precisamente entre os dias 24 a 28/10, uma nova frente fria associada a um sistema de baixa pressão avança pelas regiões Sul e Sudeste e provoca precipitação de intensidade fraca a moderada nas bacias dos rios Uruguai, Iguaçu, Paranapanema, Tietê, Grande e em pontos isolados do Paranaíba e do São Francisco. A bacia do rio Tocantins permanece com a condição de pancadas de chuva.

Mapa de Chuva: GEFS & INPE / CPTEC (24 a 02 de Novembro)

Estimativa ONS ENA | A ENA esperada pelo ONS para a 4ª semana operativa aponta para um expressivo aumento na afluência nos submercados SE (de 98% para 106%), S (de 112% para 132%) e N (de 53% para 66%). Já a estimativa é de manutenção para o submercado NE (34%). O ONS estima para o mês de outubro afluência recessiva em todos os submercados: SE (de 94% para 100%), S (de 97% para 115%), NE (de 36% para 39%) e N (de 55% para 62%).

As afluências previstas para a terceira semana no SIN (Sistema Interligado Nacional) subiram 10 p.p. (de 88% para 98%), o que em termos de energia representa cerca de +3.900 MW médios. Este aumento nas afluências, principalmente no Sudeste e Sul, foram os principais responsáveis pela queda do PLD.

PMO (Outubro – 20 a 26/10) | Energia Natural Afluente (%MLT) 
 
Fonte: ONS

Liquidez BBCE

Nas últimas semanas os contratos de Out/18 e Nov/19 perderam bastante liquidez, sendo substituídos pelos contratos de Dez/18, Jan/19 e 1º Tri/19, que juntos responderam por 81,2% do volume total negociado nesta segunda-feira. O contrato M+2 (entrega em Dez/18) foi o mais negociado do dia, contabilizando 171,0 MW médios (220,1 MW médios no dia anterior), sendo responsável por 53,0% do volume negociado na BBCE. Os contratos para Nov/18 (53,3 MW médios) e 1º Tri/19 (52,6 MW médios) ficaram na segunda e terceira posição respectivamente. Juntos estes contratos responderam por 32,8% do total negociado.

Além destes, também foram negociados os contratos para Jan/19 (38,4 MW médios), Out/18 (10,1 MW médio), 2º Tri/19 (4,0 MW médios e 1º Sem/19 (2,5 MW médios).

BBCE | Volume Transacionado no dia 22/10 (MW Médios) 
 
Fonte: Pontoon-e e BBCE

Preços, Assimetrias & Trades

Backdrop | O mercado permanece em uma espiral decrescente, com os preços refletindo por um lado a real melhora da afluência nos submercados sul e sudeste e por outro a busca dos “traders” em reduzir suas posições compradas.  Este movimento, iniciado pelo alteração do cenário hidrológico de curto prazo, tem se intensificado com a proximidade do período úmido e pela estratégia de venda agressiva adotada pelos “traders” com o intuito de reduzir a exposição e com isso “evitar perdas muito pesadas a qualquer custo”. Nestes momentos a melhor estratégia é seguir fora, ou aguardar o esgotamento deste movimento de“risk aversion”

Call Curto Prazo | O contrato para Nov/18 foi o mais impactado pelo recente movimento de venda observado no mercado de energia, acumulando perda de 53% apenas no mês de outubro. Uma rápida olhada no preço de encerramento de ontem  (22/10) na BBCE, R$123,45/MW, indica para Nov/18 um CMO (Custo Marginal de Operação) abaixo de R$130/MWh, o que nos parece muito pouco provável neste momento. Mesmo no ano de 2016, quando observamos uma afluência muita favorável, o CMO médio no mês de novembro foi de R$205/MWh (piso de R$173/MWh), para um despacho termelétrico de 13,6 GW médios. Em resumo, para aqueles com apetite ao risco sugerimos compra do contrato de Nov/18 (Lucro Potencial de R$43/MWh).

Fique de Olho | Os contratos para o 2º Tri/19 e 1º Sem/19 estão cotados na BBCE (última cotação) a R$163/MWh (2º Tri/19) e R$160/MWh (1º Sem/18). Embora seja cedo para termos uma ideia mais clara quanto ao que esperar da hidrologia em 2019, ao darmos uma olhada no passado recente (5 anos), vemos bom potencial de lucro nestes contratos.

Neste período de cinco anos o PLD médio ficou abaixo destes valores (~R$180/MWh) apenas em um ano (2016), quando a ENA média registrada no submercado sudeste entre julho de 2015 e abril e 2016 foi superior a 104% da MLT e o nível dos reservatórios no sudeste no final de agosto de 2015 era de 34,3%, ou 6,3 p.p. acima do fechamento de agosto de 2018 (28,0%). Em resumo, a relação risco retorno é muito interessante nestes níveis e, portanto, vale a pena ficar de olho. 

Pontoon-e | Cotação BBCE vs. Projeções Pontoon-e (R$/MWh) 
 
Fonte: Pontoon-e e BBCE

Dispersão Preços: Pontoon-e vs. BBCE no dia 22/10 (R$/MWh)Fonte: Pontoon-e e BBCE


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *