Cenário Outubro 

Hidrologia & CMO & PLD | O cenário que se desenha para o mês de outubro tende a ser ainda mais volátil do que o observado ao longo dos últimos meses, em razão da proximidade do período úmido. Um bom exemplo disto é o próprio mês de setembro. Na 1ª e 2ª semana do mês os preços foram impactados pela expressiva elevação da afluência no submercado sul, que registrou ENAs (Energia Natural Afluente) de 184% e 83% da MLT (média de longo termo). Já a segunda metade do mês – referente a 3ª e 4ª semanas operativas -, foi marcado pela elevação da ENA no submercado sudeste, que registrou ENAs de 85% e 104% da MLT.

É importante destacar que esta recente elevação da ENA no submercado sudeste, combinado com a 2ª Revisão Quadrimestral da Carga, como também as novas condições de armazenamento e projeções de afluência mais otimistas no submercado Sul e Sudeste, devem influenciar o PLD da 1ª semana operativa de outubro e consequentemente a Bandeira Tarifária a ser definida.

A atualização dos mapas de chuva para o período entre 28 e 07 de outubro indicam mais “água” nos próximos dias, principalmente entre os dias 29 e 03, o que tende a deixar o mercado e, consequentemente, os preços muito voláteis. Outro aspecto a ser considerado é o calendário. Uma elevação da ENA próxima do final do mês tende a influenciar positivamente o modelo no cálculo do PLD, uma vez que este “carrega” a melhora da afluência nas séries futuras, abrindo espaço para uma queda maior do PLD na 1ª semana de outubro.

Em outras palavras, embora as termelétricas continuarão a ter papel de destaque no atendimento do SIN (Sistema Interligado Nacional), acreditamos que o CMO (Custo Marginal de Operação deverá permanecer em patamares inferiores a ~R$380/MWh), reforçando a tese de um PLD mais baixo para o início de outubro, assim como para o restante do mês.

Projeções Pontoon-e 

Nova Curva de Preços (PLD) | A Pontoon-e atualizou no dia 19/09 sua curva de preços futuros para o período compreendido entre setembro e julho de 2019 para o submercado SE/CO (Link: https://pontoon-e.com/nova-curva-de-precos-pontoon-e-19-09/). 

Ressaltamos que esta nova curva de preços para o submercado SE/CO (de Set/18 a Jul/19) já incorpora a 2ª Revisão Quadrimestral da Carga – que resultou em um corte de aproximadamente 914 MW médios para 2018 e de 1.277 MW médios na expectativa entre 2018 a 2022 -, como também as novas condições de armazenamento e projeções de afluência mais otimistas no submercado Sul e Sudeste.

As novas projeções apresentam redução em relação às estimativas publicadas no dia 05/09 (-5,9% em média). As projeções para os meses de novembro (-22,3%), dezembro (-16,8%) e outubro (-13,2%) foram as que apresentaram maior variação negativa, devido principalmente a combinação de corte da carga e expectativa de afluência mais favorável no sul e sudeste no final do mês de setembro e início de outubro. A redução de -1,5% observada nos preços projetados para os primeiros sete meses de 2019 (Jan-Jul) é reflexo direto dos ajustes acima mencionados e do efeito cascata nas condições inicias de armazenamento.

Pontoon-e | Projeção PLD SE/CO: Set-Dez (R$/MWh) 
Fonte: Pontoon-e

Pontoon-e | Projeção PLD SE/CO: Jan-Jul (R$/MWh)  
Fonte: Pontoon-e

Bandeira Tarifária

Call Pontoon-e Outubro: VERMELHA 2 | Na próxima sexta-feira (28/09) a Aneel publicará a Bandeira Tarifária para o mês de outubro, modalidade criada em 2015 para cobrir os custos adicionais das distribuidoras de energia referentes à compra de energia, risco hidrológico e despacho termelétrico. Assim como ocorre desde o mês de junho, a Aneel deverá manter para outubro a Bandeira Vermelha 2, mantendo desta forma o encargo extra de R$50/MWh na tarifa de todos os consumidores cativos brasileiros. Nossa expectativa está fundamentada na combinação de uma hidrologia ainda abaixo da média histórica para outubro, com a combinação de GSF (Generation Scaling Factor) baixo ~70% e PLD próximo a R$380/MWh.

Projeção Pontoon-e Nov-Dez/18 | Não esperamos alterações significativas no cenário ao longo do próximo trimestre, o que significa que a Aneel deverá manter a Bandeira Vermelha 2 até o mês de novembro, embora a curva de preços publicada pela Pontoon-e no último dia 19/09 aponte para uma expressiva redução do PLD projetado para os meses de novembro e dezembro. Vale destacar que estamos alterando nossa projeção para o mês de dezembro, de Bandeira Vermelha 1 (+R$30/MWh) para Bandeira Amarela (+R$10/MWh). Em síntese esperamos para estes meses GSF baixo (variando entre ~65% e ~90%) e PLD em patamar inferior ao observado nos últimos meses, porém ainda elevado, devido as atuais condições de armazenamento.

Na tabela abaixo apresentamos a nova projeção de PLD (SE/CO) realizada pela Pontoon-e, como também o resumo do nosso modelo de estimativa de Bandeira Tarifária (Heat Map).

Pontoon-e | Heat Map Bandeira Tarifária Fonte: Pontoon-e

Bandeira Tarifária e Inflação

Entendendo o Impacto | Lembramos que a manutenção da Bandeira Vermelha 2 traz um impacto de R$50/MWh na tarifa paga pelos consumidores em todo o Brasil, resultando em um reajuste adicional de ~9,5% (Tarifa Média B1 Brasil de R$525/MWh). 

A título de exemplo lembramos que a Bandeira Amarela – que adiciona automaticamente R$10/MWh na tarifa – resulta em um reajuste médio de 1,9% na tarifa B1 e a Bandeira Vermelha 1 – acréscimo de R$30/MWh – implicará em um reajuste médio de 5,7% na tarifá B1. Veja abaixo as projeções da Pontoon-e para os próximos meses.

Pontoon-e | Projeção Bandeira TarifáriaFonte: Pontoon-e e CCEE

Reajuste Distribuidoras | De acordo com as projeções de reajuste tarifário realizadas pela Pontoon-e para as 17 distribuidoras que compõe o IPCA, as tarifas de energia (B1) devem subir em média 17,26% em 2018, o que deverá gerar um impacto direto no IPCA de 0,58%. Até o momento 13 distribuidoras tiveram os seus reajustes definidos pela Aneel, sendo que a Enel (RJ) foi a distribuidora que registrou a maior elevação (+26,64%) e a Enel (CE) a distribuidora que teve o menor reajuste (+3,70%).

Próximos Reajustes | Ao longo de outubro e novembro, outras quatro distribuidoras terão os seus reajustes homologados pela Aneel – Celg (GO), CEB (DF), EDP (SP) e CEEE (RS) – sendo que a Pontoon-e estima reajustes de 30,90%, 16,71%, 15,99% e 22,96%, respectivamente. Dois eventos podem contribuir para elevar estes valores ainda mais: (i) Elevação da CDE (Conta de Desenvolvimento Energético: +R$1,446 bilhão (Reajuste adicional +0,70%); e (ii) Desvalorização do Real: Impactando as distribuidoras do sul/sudeste/centro-oeste.

Pontoon-e | Reajuste DisCos vs. IPCAFonte: Pontoon-e


 

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *