O mês de abril foi o melhor do quadrimestre na incidência de chuvas

 

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE apresentou, nesta segunda-feira (29/4), durante o InfoPLD ao vivo (exibido em www.ccee.org.br/aovivo), análise do comportamento do Preço de Liquidação das Diferenças – PLD ao longo do mês de abril e início de maio. As atuais projeções indicam baixa no PLD de maio, com tendência de alta a partir de junho, devendo ficar na média de R$ 194/MWh no Sudeste/Centro-Oeste em 2019.

“Após a verificação de afluências em janeiro abaixo da média, a conjuntura hidrológica apresentou melhora e em termos de média histórica de afluência, abril foi o melhor mês do quadrimestre”, afirma Camila Giglio, da gerência de preços da CCEE. A previsão de afluências para o Sistema, em maio, se mantém em aproximadamente 95% da média histórica no Sudeste/Centro-Oeste e 55% da MLT no Nordeste, 102% no Norte e 103% no Sul, em termos percentuais.

De acordo com o especialista Rodrigo Azambuja, da gerência de Preços da CCEE, a partir da segunda quinzena de fevereiro no sistema, em decorrência da elevação das afluências e do despacho térmico adicional, se verificou o início da recuperação dos reservatórios, que chegou a se elevar em média 0,4% durante o mês de março. Os volumes significativos de chuva em abril fizeram que o mês tenha sido o melhor no quadrimestre”, explica.

A expectativa para o fator de ajuste do MRE, em 2019, permaneceu em 84,5%, com índices em 118,8% para abril e 92,2% para maio. Quando a projeção do MRE é ligada à repactuação do risco hidrológico, ou seja, considera a sazonalização “flat” da garantia física, o fator de ajuste aponta índices de 91,8% em abril e 85,9% em maio..

Com isso, o impacto previsto financeiro da análise do MRE, em um cenário hipotético de 100% de contratação da garantia física, será de R$ 12 bilhões, sendo R$ 9 bilhões referentes ao Ambiente de Contratação Regulada – ACR e R$ 3 bilhões ao Ambiente de Contratação Livre – ACL.Os Encargos de Serviços do Sistema – ESS devem alcançar o valor de R$ 398 milhões em abril e R$ 62 milhões em maio, sendo que a reserva operativa de potência é de R$ 61 milhões e R$ 1 milhão de restrição operativa.

A expectativa de fechamento para a carga global de abril de 2019 ficou em uma alta de 1,6% ante ao mês de abril de 2018. Para maio, a previsão é de uma elevação de 4,6%, ante maio de 2018. A carga do SIN de abril de 2019 realizou 179 MWmed abaixo do previsto no PMO do mesmo mês, analisa Erika da Cunha, da gerência de análise de informações ao mercado CCEE.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *