• Preço da terceira semana de dezembro é fixado em R$ 226,59/MWh em todos os submercados. 

  •  A estimativa do fator de ajuste do MRE para dezembro é de 89,3%.

  • O ESS estimado para o mês de dezembro em R$ 11 milhões, sendo em sua totalidade referente às restrições operativas.

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE informa que o Preço de Liquidação das Diferenças – PLD para a terceira semana de dezembro (14 a 20 de dezembro), o preço médio de todos os submercados subiu 4% em relação à semana passada, saindo de R$ 217,57/MWh para R$ 226,59/MWh. O principal fator responsável pelo aumento do preço do PLD foi a redução das afluências previstas para as próximas semanas.

Para dezembro de 2019, espera-se que as afluências fechem em torno de 77% da Média de Longo Termo – MLT para o sistema, estando abaixo da média para todos os submercados: no Sudeste/Centro-Oeste, é de 85%; no Sul é de 57%; no Nordeste, 61% e, no Norte, 64% da MLT.

Para a próxima semana, a expectativa para a carga prevista do SIN é em torno de 700 MWmédios mais baixa em relação a previsão anterior, com aumento somente no Nordeste (+190 MWmédios). Ocorreu uma diminuição no Sudeste/Centro-Oeste (-636 MWmédios) e no Sul (-253 MWmédios). No Norte não houve alteração.

Os níveis dos reservatórios do SIN ficaram cerca de 194 MWmédios abaixo do esperado, os níveis estão mais altos que a previsão anterior no Nordeste (+466 MWmédios) e no Norte (+77 MWmédios). Enquanto apresentou redução no Sudeste (-614 MWmédios) e no Sul (-123 MWmédios).

O fator de ajuste do MRE estimado para o mês de dezembro de 2019   passou de 89,7% para 89,3%.

O ESS previsto para dezembro de 2019 está em R$ 11 milhões, sendo em sua totalidade referente às restrições operativas.

A análise detalhada do comportamento do PLD pode ser encontrada no boletim InfoPLD, divulgado semanalmente no site da CCEE.

Entenda o PLD

O PLD é o preço de referência do mercado de curto prazo, utilizado para precificar o que foi gerado e o que foi consumido de energia elétrica por todos os participantes do mercado (que operam no âmbito da CCEE).

A CCEE apura mensalmente o total de energia consumido pelos consumidores que compram no Ambiente de Comercialização Livre – ACL e pelos cativos do Ambiente de Contratação Regulado – ACR. Os contratos negociados no mercado livre, fechados entre o comprador e o vendedor (pelos geradores, comercializadores e consumidores livres e especiais) e pagos bilateralmente, também são registrados na CCEE. Por sua vez, no mercado cativo os contratos são fechados em leilões regulados pelo governo, informações também registradas pela CCEE. Caso haja mais consumo ou geração do que os montantes contratuais registrados, essas diferenças são liquidadas mensalmente no mercado spot (à vista ou de curto prazo, como também é conhecido). Todos os devedores (subcontratados) pagam em igual proporção para os credores (sobre contratados).

O valor utilizado para este acerto é o Preço da Liquidação das Diferenças – PLD que é calculado semanalmente pela CCEE e, após Resolução Homologatória da ANEEL de número 2.498, de 18 de dezembro de 2018 – tem valor teto de R$ 513,89/MWh e piso de R$ 42,35/MWh, vigentes a partir da primeira semana operacional de janeiro/2019.

Sobre a CCEE

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE (www.ccee.org.br) é responsável por viabilizar e gerenciar a comercialização de energia elétrica no país, garantindo a segurança e o equilíbrio financeiro deste mercado. A CCEE é uma associação civil sem fins lucrativos, mantida pelas empresas que compram e vendem energia no Brasil. O papel da CCEE é fortalecer o ambiente de comercialização de energia – no ambiente regulado, no ambiente livre e no mercado de curto prazo – por meio de regras e mecanismos que promovam relações comerciais sólidas e justas para todos os segmentos do setor (geração, distribuição, comercialização e consumo).


 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *