Home>Price & Strategy>Preço>PLD fica estável no Norte e sobe nos demais submercados
Preço Price & Strategy

PLD fica estável no Norte e sobe nos demais submercados

CCEE |

Acesse a notícia original aqui.

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE informa que o Preço de Liquidação das Diferenças – PLD para o período entre 17 e 23 de fevereiro registra alta de 24% no Sudeste/Centro-Oeste, principal submercado do Sistema, ao passar de R$ 170,45/MWh para R$ 210,79/MWh. No Sul (+24%) e no Nordeste (+10%), os preços para a próxima semana estão fixados em R$ 214,37/MWh e R$ 184,27/MWh, respectivamente. Já no Norte, o PLD permanece no valor mínimo de R$ 40,16/MWh estabelecido para 2018.

Os preços do submercado Norte seguem descolados aos demais, uma vez que seus limites de envio de energia foram atingidos em todos os patamares. Os limites de recebimento de energia pelo Nordeste também foram atingidos, o que explica a diferença entre os demais preços. Já a diferença entre o preço do Sudeste e do Sul se deve às perdas elétricas na interligação entre estes submercados.

A previsão de afluências para o Sistema Interligado Nacional – SIN, em fevereiro, passa de 83% para 81% da Média de Longo Termo – MLT com ENAs esperadas em 82% da média no Sudeste, 98% no Sul, 43% no Nordeste e em 107% da MLT no Norte

Para os próximos sete dias, a expectativa de carga está cerca de 1.300 MWmédios superior à previsão da semana passada, permanecendo inalterada no Sul. As elevações são registradas no Sudeste (+1.100 MWmédios), Nordeste (+150 MWmédios) e Norte (+50 MWmédios).

O nível dos reservatórios do SIN mantém a expectativa da última previsão, mas com variações entre os submercados. Há registro de elevação apenas no Norte (+1.320 MWmédios). Os níveis estão mais baixos no Sudeste (-815 MWmédios), no Sul (-400 MWmédios) e no Nordeste (+105 MWmédios).

O fator de ajuste do MRE previsto para fevereiro foi revisto de 115,1% para 112,9% Os Encargos de Serviços do Sistema – ESS esperados para o segundo mês do ano são de R$ 187 milhões, sendo R$ 74 milhões referentes à segurança energética.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *