• Queda na previsão de afluências para o Sistema Interligado Nacional – SIN impacta na elevação do preço da terceira semana de janeiro no Sudeste e Sul·       
  • PLD no Norte e Nordeste cai 23% e fica em R$ 80,44/MWh
  • Fator de ajuste do MRE repactuado é previsto em 100,1% para janeiro; ESS deve ficar em R$ 64 milhões no período

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE informa que o Preço de Liquidação das Diferenças – PLD para o período entre 12 e 18 de janeiro subiu 20% nos submercados Sudeste/Centro-Oeste e Sul, passando de R$ 138,80/MWh para R$ 166,17/MWh. Já o preço no Norte e Nordeste saiu de R$ 103,89/MWh para R$ 80,44/MWh, redução de 23%.

A elevação do PLD nos submercados Sudeste/Centro-Oeste e Sul se deu principalmente por conta da redução (de 80% para 71% da média) das afluências previstas para o Sistema e que também apresentaram queda em todos os submercados. A redução do preço nos submercados Nordeste e Norte, por sua vez, foi causada principalmente pela elevação do armazenamento verificado nos reservatórios do Norte.

A carga prevista para a próxima semana no SIN deve ficar em torno de 425 MWmédios mais alta, com redução esperada apenas no Nordeste (-150 MWmédios). Nos demais submercados, há expectativa de elevação: Sudeste (+400 MWmédios), Sul (+125 MWmedios) e Norte (+50 MWmédios).

Os níveis dos reservatórios do SIN ficaram cerca de 1.025 MWmédios mais baixos quando comparados com a previsão da semana anterior. Houve redução nos níveis do Sudeste (-600 MWmédios), Sul (-700 MWmédios) e Nordeste (-150 MWmédios). Os níveis dos reservatórios subiram apenas no submercado Norte (+425 MWmédios).

O fator de ajuste do MRE para o mês de janeiro, para fins de repactuação do risco hidrológico, ou seja, quando é considerada a sazonalização flat da garantia física, foi revisto de 100,2% para 100,1%. O fator que considera a sazonalização realizada pelos agentes não foi previsto, pois a sazonalização da garantia física para 2019 ainda não foi divulgada.

O ESS esperado para janeiro está em R$ 64 milhões, sendo quase sua totalidade referente à restrição operativa, uma vez que a reserva operativa de potência, verificada somente no primeiro dia do ano, apresentou custos de apenas R$ 30 mil.

A análise detalhada do comportamento do PLD pode ser encontrada no boletim InfoPLD, divulgado semanalmente no site da CCEE.

image.png

Entenda o PLD

PLD é o preço de referência do mercado de curto prazo, utilizado para precificar o que foi gerado e o que foi consumido de energia elétrica por todos os participantes do mercado (que operam no âmbito da CCEE).

A CCEE apura mensalmente o total de energia consumido pelos consumidores que compram no Ambiente de Comercialização Livre – ACL e pelos cativos do Ambiente de Contratação Regulado – ACR. Os contratos negociados no mercado livre, fechados entre o comprador e o vendedor (pelos geradores, comercializadores e consumidores livres e especiais) e pagos bilateralmente, também são registrados na CCEE. Por sua vez, no mercado cativo os contratos são fechados em leilões regulados pelo governo, informações também registradas pela CCEE. Caso haja mais consumo ou geração do que os montantes contratuais registrados, essas diferenças são liquidadas mensalmente no mercado spot (à vista ou de curto prazo, como também é conhecido). Todos os devedores (subcontratados) pagam em igual proporção para os credores (sobre contratados).

O valor utilizado para este acerto é o Preço da Liquidação das Diferenças – PLD que é calculado semanalmente pela CCEE e, após Resolução Homologatória da ANEEL de número 2.498, de 18 de dezembro de 2018 – tem valor teto de R$ 513,89/MWh e piso de R$ 42,35/MWh, vigentes a partir da primeira semana operacional de janeiro/2019.

.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *