O banco BTGPactual publicou na manhã de hoje (17/09) nova pesquisa de intenção de voto para as eleições presidenciais de 07 de outubro realizada pelo Instituto FSB Peqsuisa.

O levantamento ocorreu entre os dias 15 e 16/09 e contou com a entrevista telefônica de 2000 eleitores com idade a partir de 16 anos, nas 27 unidades da federação. Essa pesquisa está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com número BR-06478/2018.

Pesquisa BTGPactual aponta polarização entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) | Os dois candidatos apresentaram forte crescimento em relação a pesquisa anterior, publicada no último dia 10/09. Bolsonaro, que já vinha apresentando crescimento contínuo nas últimas pesquisas, passou de 26% para 30% na intenção de voto espontânea, onde não é apresentado o nome do candidato. Já Haddad, que teve a sua candidatura confirmada recentemente, saltou de 3% para 12%, confirmando a tese de transferência de votos de Lula. Já a pesquisa estimulada, em que o nome dos candidatos é apresentada ao eleitor, Bolsonaro (PSL) saltou de 30% para 33%, enquanto Haddad (PT) saiu de 8% para 16%.

Pesquisa aponta apenas Ciro Gomes (PDT) com possibilidade de 2º turno | Embora as demais pesquisas (Datafolha e Ibope) tenham sinalizado empate técnico entre os candidatos Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (REDE) e Geraldo Alckmin (PSDB), a pesquisa do BTGPactual publicada nesta manhã aponta apenas o candidato Ciro Gomes com alguma possibilidade de superar Haddad na disputa por uma vaga no segundo turno. Na pesquisa de intenção de voto estimulada Ciro Gomes aparece em terceiro lugar com 14% (12% na pesquisa anterior). Na pesquisa espontânea Ciro Gomes também ocupa a terceira posição, porém com um percentual menor (8%), além de apresentar queda em relação a pesquisa anterior quando registrou 13% das intenções.

Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (REDE) e João Amoêdo (NOVO) estão tecnicamente empatados na 4ª posição | Na pesquisa estimulada Marina Silva continua firme em sua trajetória descendente, recuando de 8% para 5%. A mesma tendência pode ser observada quando analisamos o desempenho de Alckmin nesta pesquisa – que passou de 8% para 6% -, apesar deste dispor de ~44% do horário gratuito na TV e rádio. João Amoêdo por outro lado atingiu o que parece ser o teto do NOVO neste momento (4%) das intenções de voto na pesquisa estimulada. Já a pesquisa de voto espontânea traz dados ainda mais alarmantes tanto para a campanha de Marina Silva, quanto para companha de Alckmin. Tanto Marina e Alckimin, que já apresentavam índices baixos nas últimas pesquisas (3%), recuaram para 2% nesta última. Ambos estão atrás de Amoêdo com 3% das intenções.

Bolsonaro (PSL) e Haddad (PT) são os candidatos que contam com a maior fidelidade do seu eleitorado | De acordo com o Instituto FSB, cerca de 82% dos eleitores de Bolsonaro afirmaram que sua decisão é definitiva, percentual muito próximo do observado junto aos eleitores de Haddad (81%). A surpresa fica por conta do terceiro colocado, João Amoêdo, que apesar de todo a campanha existente nas mídias sociais em torno do “voto útil”, 73% dos seus eleitores afirmaram que o seu voto é definitivo. Na ponta extrema novamente surgem dois nomes: Marina Silva (43%) e Geraldo Alckmin (44%).

Disputa no 2º Turno | Uma eventual disputa de 2º turno entre Bolsonaro e Ciro Gomes mostra empate técnico (ambos com 42%). Em uma disputa com Haddad (PT), Jair Bolsonaro (PSL) venceria por 46% a 38%. Bolsonaro também venceria Geraldo Alckmin (PSDB), 43% a 36%, e Marina Silva (REDE), 48% a 33%.

Potencial de Voto x Rejeição | Diferentemente das pesquisas Datafolha e Ibope, onde Bolsonaro surge como o candidato com o maior índice de rejeição, nesta pesquisa ele ocupa a 7ª posição com 45%, logo atrás de Ciro Gomes (46%) e Haddad (48%). Marina e Alckmin novamente lideram este quesito com 58% e 53%, respectivamente. Em relação ao potencial de voto, Jair Bolsonaro lidera com 48%, seguido por Ciro Gomes (45%), Geraldo Alckmin (39%), Marina Silva (36%) e Fernando Haddad (36%). Este dado revela ainda algum potencial de crescimento tanto de Bolsonaro, quanto de Ciro Gomes, como também uma possibilidade de reversão da tendência de queda nas candidaturas de Alckmin e Marina.

A margem de erro no total da amostra é de 2pp, com intervalo de confiança de 95%. A amostra é controlada a partir de quotas de: (a) sexo, (b) idade, (c) região e (d) tipo de telefonia (fixa e móvel). • Após a pesquisa, foi aplicado um fator de ponderação para corrigir eventuais distorções em relação ao plano amostral.

Para acesso a pesquisa acesse o link (BTG Pactual – Rodada FS4 (divulgação 17.09)

 

 

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.