Para quem analisa o setor elétrico mirando na regulação, nas empresas e instituições oficiais, a avaliação só pode ser de robustez institucional, previsibilidade e segurança jurídica.

Há um sinal preocupante.

O setor se lastreia em um fundamento desatrelado do mundo competitivo: é um permanente repassador de custos para o cliente,seja residencial, comercial, industrial ou institucional. Impostos, subsídios, incentivos, gatos (denominados com delicadeza por “perdas não técnicas”), inadimplências oficiais são todas transferidas para as tarifas.

Por outro lado as empresas de energia controladas pelo Estado (Federação e Estados) estão descapitalizadas não tendo condições de investir para ampliar suas ofertas.

Um exemplo emblemático desta situação é a declaração recente do governador de Minas Gerais que, em entrevista, afirmou que a CEMIG não tinha recursos para investir no acesso (elétrico) de uma industria estrangeira que desejava se instalar no seu estado.

O que mais será necessário acontecer para que tomemos consciência da verdadeira situação do setor elétrico?


Is the Brazilian power sector out of control?

For those who analyze the electric sector looking at the regulation, in official companies and institutions, the assessment can only be of institutional strength, predictability and legal security. However, there is a worrying signal.

The sector is based on an untied foundation of the competitive world: it is a permanent transfer of costs to the customer, whether residential, commercial, industrial or institutional.

Taxes, subsidies, incentives, power theft (delicately referred to as “non-technical losses”), official defaults are all transferred to the tariffs.

On the other hand, energy companies controlled by the State (Federation and States) are in a very weak financial/economical situation and unable to invest to expand their businesses..

An emblematic example of this situation is the recent statement by the governor of Minas Gerais, who, in an interview, declared that CEMIG did not have the resources to invest in the required (electric) access to a foreign industry that wished to settle in the state.

What else will need to happen for us to become aware of the real situation in the electricity sector?


Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *