A desvalorização do Real é um fato significativo. Em um ano a cotação do Dólar subiu 40%. Em 5 anos 80%.

Uma lista de produtos primários (grãos, minérios, etc.) que compõe a principal pauta de exportação do Brasil ficaram ainda mais competitivos pois dependem primordialmente de custos nacionais denominados em reais.

Fora isto o Brasil é um país caro. Refiro-me ao poder aquisitivo per capta dos brasileiros.

Infelizmente e lamentavelmente a redução de custos em Dólar não decorre de um aumento de produtividade, de aporte de criatividade e inovação para produtos e serviços nacionais e sim da fragilidade sistêmica e histórica da nossa economia.


Is Brazil “cheaper”?

The devaluation of the Real is a significant fact. In one year, the exchange rate (the value of 1 USD in R$) rose 40%. In 5 years 80%.

A list of primary products (grains, ores, etc.) that make up Brazil’s main export basket became even more competitive as they depend primarily on national costs denominated in R$.

Other than that, Brazil is an expensive country. I refer to the per ca-pita purchasing power of Brazilians.

Regrettably the cost reduction in USD is not due to an increase in productivity, creativity and innovation “transferred” to national products and services, but to the systematic and historical fragility of our economy.


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *