O presidente Jair Bolsonaro diz que a energia alternativa do Nordeste deverá ser incentivada, mas os problemas são bem maiores

Além de contornar a baixa votação nos estados nordestinos, onde o PT dominou nas eleições presidenciais, o novo governo eleito terá vários desafios pela frente na região.  Apesar de sua diversidade e de seus contrastes, o Nordeste tem peculiaridades e grandes problemas a serem superados. Suas questões fundamentais atualmente, como violência, desemprego, saúde, educação e renda, vão além de seu potencial e para sua resolução dependem diretamente da nova equipe de Jair Bolsonaro.

Segundo Luiz Alberto Esteves, economista-chefe do Banco do Nordeste, para reduzir as desigualdades entre o Nordeste e outras regiões do país, é necessário elevar sua produtividade e sua renda per capita. Ele propõe um crescimento a taxas maiores por longo prazo e depende de um bom investimento para acumular capital físico e humano, inovação, infraestrutura e instituições.

O grande trunfo nordestino, na opinião do economista e da equipe de Bolsonaro, é apostar em energia eólica e solar, ao deixar para trás o flagelo da carência de água em larga área do território. “Conseguimos vislumbrar uma política para recursos abundantes, e não um recurso escasso, como tem acontecido”, afirma Esteves, comparando essa oportunidade à iniciativa da produção de soja que conduziu o Centro-Oeste a um nível econômico superior.

A Associação Brasileira de Energia Eólica – Abeólica –  divulgou que a contribuição dos ventos chega a representar mais de 70% da produção energética no Nordeste. A região, historicamente importadora de energia, agora tem se tornado autossuficiente e até exporta. Rio Grande do Norte, com 146 usinas, Bahia, com 133, e Ceará, com 80, encabeçam a lista de maiores produtores de energia eólica do país.

O Nordeste será uma boa saída para os investimentos governamentais em energia do país, mas todo cuidado é pouco.

 

Fonte: BBC

Foto: o Rio Grande do Norte,  com 146 usinas, é o maior produtor de energia eólica do Brasil- Divulgação


 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *