O conselho de administração da Neoenergia, filial brasileira da Iberdrola anunciou, em 14/3, seus planos para analisar de novo uma potencial cotação de suas ações na Bolsa no Brasil (IPO) depois que no final de 2017 esta operação foi suspensa. De fato, a Neoenergia já adiantou para o regulador da bolsa brasileira que iniciará os estudos e trabalhos preparatórios para uma potencial oferta pública de ações.

Neste sentido, a companhia comunicou que tomou conhecimento do requerimento dos acionistas institucionais e, por isso, adotou esta decisão, já prevista no acordo de acionistas. Já no final de 2017, a Neoenergia suspendeu uma oferta pública inicial (IPO) de ações devido a que dois dos parceiros não aceitaram a categoria de preços definida pelos investidores, já que estavam abaixo das expectativas.

A Neoenergia, que se fundiu em 2017 com a Elektro, a qual também tinha participação da Iberdrola, é controlada pela companhia espanhola (52,45%) e tem como sócios o fundo de pensões Previ (38,21%) e o Banco do Brasil (9,34%). A Neoenergia conta com 13,6 milhões de clientes individuais que são atendidos pelos seus quatro distribuidores – Coelba, Celpe, Cosern e Elektro – e é a responsável de levar energia para 34 milhões de pessoas, quase 20% da população brasileira.

A companhia está presente em 16 estados e tem presença nos segmentos de geração, transmissão, distribuição e comercialização de eletricidade. A Iberdrola opera no Brasil há 20 anos.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *