Além de criar carros elétricos únicos, a Tesla tem outros planos para o seu futuro. Seu CEO, Elon Musk, quer apostar nos carros autônomos e tem ideias bem precisas do que pretende fazer daqui para frente. Estas suas ideias foram agora apresentadas, num evento da marca, prometendo ainda este ano a chegada dos Tesla com condução autônoma e planos mais ousados, que incluem ainda uma frota de milhares de táxis robôs até 2020.

O polêmico executivo anunciou a novidade em uma reunião com investidores realizada ontem 22/4, onde a famosa rede de veículos autônomos da Tesla reuniu seus executivos, investidores e colaboradores. Segundo relatos da imprensa presente, ele comparou a iniciativa de sua companhia com serviços como Uber e Lyft, nos quais uma pessoa paga para um motorista privado levá-la de um lugar até outro. No caso dos veículos da Tesla, porém, não haverá motorista, mas apenas um carro autoguiado.

Esses automóveis não utilizariam um sistema de lasers para se locomoverem, ou seja, nada de sensores LiDAR – Light Detection and Ranging. A Tesla equipará os seus veículos com oito câmeras, o que darão a eles uma visão 360° capaz de usar seu software próprio para saber quando um carro muda de pista ou não.

Compartilhando

A ideia da Tesla é que os proprietários de veículos da marca os deixem trabalhando – e ganhando dinheiro – enquanto não precisam deles. Musk explicou que a companhia ficará com uma taxa de 25% a 30% do valor cobrado dos clientes, nada muito diferente do já praticado por empresas do setor.

E o serviço de caronas compartilhadas da Tesla não se limitaria a usar os carros de seus clientes: em alguns locais, quando necessário, a empresa colocaria os seus próprios “robotaxis” na rua para levar passageiros. De um jeito ou de outro, a promessa da empresa é ousada.

“Se você avançar em um ano, quem sabe em uma no e três meses, nós teremos mais de 1 milhão de robotaxis nas ruas”, cravou Musk, garantindo que sua empresa entregará sistemas de direção totalmente autônomos e prontos para enfrentar áreas urbanas densas, como Nova York e São Francisco, já no fim de 2019.

 

Fontes: Pplware e Tecmundo

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *