Representam 0,2% da frota mundial

Dificuldades: preço e pontos de recarga

Julia Fonteneles*

No começo de março, a montadora de carros elétricos Tesla anunciou o lançamento do seu novo modelo SUV, puxando a fila que inclui várias empresas do setor. Numa antecipação do que será o futuro da indústria automobilística, a Ford também anunciou o lançamento, provavelmente para 2020, de um SUV elétrico inspirado no Mustang, ícone da marca americana famoso pela força –e o consumo– de seu motor V8. A versão elétrica do Mustang terá autonomia de 480km.

Iniciativas como essas são parte do movimento para substituir os motores à combustão por carros elétricos e respondem ao problema da falta de autonomia dos modelos anteriores. Na Europa, o aplicativo Uber já oferece aos usuários a opção por carros “verdes”, assim como incentivos financeiros para motoristas utilizarem carros híbridos.

Entre outras, essas empresas lideram a transformação automobilística.

Dos mais de 1 bilhão de carros rodando em todo o mundo, apenas 2 milhões são elétricos, isso equivale a 0,2% da frota. Essencial para enfrentar a mudança climática –os automóveis a combustão são responsáveis por 14% da emissão de gases do efeito estufa– a transição para os carros elétricos é um enorme desafio.

Hoje, o valor elevado é um dos maiores obstáculos para a venda dos carros elétricos. O alto preço das baterias de lítio aumenta o custo da produção e, consequentemente, impacta no preço final desses veículos. Com incentivos à pesquisa, ao desenvolvimento de tecnologia e a economia de escala, as baterias estão se tornando cada vez mais baratas e os produtos primários utilizados para desenvolvê-los estão cada vez mais cobiçados.

Estima-se que, até 2040, 54% dos veículos comercializados serão elétricos, o que reforça a ideia de que a produção de lítio terá que se acelerar muito, para suprir essa nova demanda mundial. De acordo com a mineradora Power Metals Corp, o commodity de lítio se tornará o próximo petróleo. No Brasil, a Agência Nacional de Mineração (ANM) informou que, em 2018, foram recebidos 117 pedidos para pesquisar a presença de lítio, três vezes mais que em 2017.

Outro fator a ser considerado é como adaptar a estrutura das cidades para acomodar o abastecimento de carros elétricos. Quando se considera uma mudança dessa proporção, cidades inteiras terão que adaptar os atuais postos de combustíveis e oferecer ao consumidor a mão de obra necessária para sustentar a transição para automóveis mais limpos. Na Europa e na China, centros de carga elétrica são mais comuns que outros lugares do mundo. No Brasil existem poucos centros de recarga elétrica, e a maioria é concentrada nas grandes metrópoles. A falta de acesso à recarga gera insegurança ao consumidor. Portanto, além de oferecer carros com preços mais acessíveis, as montadoras precisam acelerar a abertura de centros de recarga.

Como qualquer outra transição, as mudanças requerem tempo e planejamento para que a era dos carros elétricos aconteça de forma sustentável e acessível, tanto para o consumidor quanto para os fornecedores. O aumento da demanda de lítio e a instalação de estações de recarga contribuem para a redução dos preços dos carros elétricos e, assim, para a ampliação do mercado.

Porém, é importante ter em mente que o aumento da demanda de energia elétrica deve também incluir mais fontes de energia limpa. Na China, por exemplo, houve um aumento substantivo na venda de carros elétricos, mas as fontes usadas para abastece-los, em sua grande maioria, continuam sendo usinas termoelétricas, o que reduz o esforço ambiental para a diminuição da emissão de gás carbono.

Não existem paliativos. A redução da emissão de poluentes e o enfrentamento dos efeitos da mudança climática exigem a integração das ações e a revisão de todo o modelo energético, sob pena de medidas fundamentais, como a substituição da frota atual por veículos elétricos,
terem seus resultados comprometidos.

*Julia Fonteles, 23 anos, é formada em economia e relações internacionais pela George Washington University. Criou e mantém o blog “Desenvolvimento Passo a Passo”, uma plataforma voltada para simplificar ideias na área de desenvolvimento econômico.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *