. Receita líquida consolidada cresceu 18,6%, alcançando R$ 16.923,2 milhões

. EBITDA Ajustado no ano foi de R$ 3.839,9 milhões

. Consumo de energia das distribuidoras do Grupo cresceu 4,2%, o triplo da média nacional

 O Grupo Energisa registrou crescimento de 18,6% da receita líquida consolidada em 2019 ante o ano anterior, chegando a R$ 16.923,2 milhões. No quarto trimestre, esse indicador registrou R$ 4.452,1 milhões, 23,3% a mais do que no mesmo período de 2018. Já o lucro líquido consolidado chegou R$ 527,2 milhões em 2019, valor 55,3% inferior ao observado em 2018. Essa redução ocorreu devido à contabilização da combinação de negócios relacionada às distribuidoras adquiridas em 2018, em Rondônia e Acre, com impacto positivo naquele ano. Considerando o 4T19, o lucro líquido consolidado foi de R$ 353,3 milhões, redução de 47,6%, pela mesma razão. O EBITDA ajustado consolidado, por sua vez, foi de R$ 3.839,9 milhões no ano.

O lucro líquido (pro forma), que não considera as empresas Energisa Rondônia e Acre, ainda em fase de reestruturação, foi de R$ 466,2 milhões no 4º trimestre de 2019 e de R$ 1.176,5 milhões em 2019, crescimentos de 638,9% (R$ 63,1 milhões) e 107,1% (R$ 568,2 milhões) em relação ao 4º trimestre de 2018 e ao ano 2018, respectivamente.

Também na contramão do cenário de baixo crescimento econômico do Brasil, as vendas de energia da empresa encerraram o ano com crescimento de 4,2%, índice superior à média de 1,4% registrada no país (dados da Empresa de Pesquisa Energética – EPE). No total foram 36.118,7 GWh consumidos em todas as áreas de concessão do Grupo Energisa – um total de 11 distribuidoras – sinalizando nossa atuação em mercados mais dinâmicos do país, associado a fatores climáticos que favoreceram nossas concessões em 2019.

“Ainda que o crescimento econômico do último ano tenha ficado aquém do esperado, obtivemos um crescimento notável do consumo de energia, o triplo da média nacional. Os indicadores de qualidade também seguem em trajetória de melhoria, comprovando a boa aplicação dos investimentos, que alcançaram valores recorde, com eficiência e boa gestão das nossas atividades”, afirma Maurício Botelho, CFO do Grupo Energisa.

O quarto trimestre registrou forte aumento do consumo de energia em função de temperaturas mais elevadas e dos baixos índices pluviométricos. Neste período, houve aumento de 4,1% do consumo em relação a igual período do ano anterior, totalizando 9.391,8 GWh. Com exceção da indústria, que obteve leve variação negativa de 0,7%, todas as outras classes registraram variação positiva no período. As classes residencial, comercial e rural se destacaram, apresentando crescimentos de 6,7% (3.499,4 GWh), 4,2% (1.863,8 GWh) e 8,5% (928,4 GWh), respectivamente.

A dívida líquida consolidada totalizou R$ 13.667,6 milhões em dezembro de 2019, contra R$ 10.845,7 milhões em 2018, crescimento explicado pelos maiores investimentos realizados em 2019, o que afeta a variação de caixa entre os períodos. A relação dívida líquida por EBITDA ajustado passou de  2,7  vezes em dezembro de 2018 para 3,6 vezes em 2019, devido ao impacto positivo da combinação de negócios, no 4º trimestre de 2018, referente às aquisições da Energisa Rondônia e Acre.

Investimentos

Os investimentos realizados pela Energisa em 2019 somaram R$ 3.167,1 milhões, montante 59,9% superior ao investido em 2018 (R$ 1.980,8 milhões). Os recursos foram destinados, principalmente, a ativos elétricos nas distribuidoras do Grupo, que receberam R$ 2.322,8 milhões do montante total, a fim de promover a expansão e reforço da rede e a melhoria contínua da qualidade da energia. No 4º trimestre de 2019, o investimento foi de R$ 997,8 milhões, sendo R$ 607,6 milhões em ativos elétricos das concessionárias.

Para 2020, a Energisa planeja investir R$ 3 bilhões, dos quais cerca de R$ 2,5 bilhões nas 11 distribuidoras do Grupo – R$ 830 milhões serão aplicados somente na Energisa Rondônia e Energisa Acre , R$ 315 milhões em projetos de transmissão de energia e R$ 110 milhões na Alsol Energias Renováveis, empresa adquirida em junho de 2019.

Perdas e Inadimplência

As perdas totais consolidadas do Grupo Energisa em 2019 somaram 5.756,9 GWh, representando 13,48% da energia injetada, queda de 0,09 ponto percentual em comparação com dezembro de 2018, mesmo considerando a aquisição das distribuidoras Energisa Rondônia e Energisa Acre. Sem a contabilização das novas empresas, as perdas totais representam 11,52% da energia injetada, ou 4.247,3 GWh.

As concessões que mais contribuíram para a boa redução das perdas consolidadas em 2019 foram a Energisa Mato Grosso, Energisa Tocantins e Energisa Mato Grosso do Sul. A melhoria nos indicadores é resultado de investimentos em equipes de combate a perdas e tecnologias que coíbem este tipo de ilegalidade, como telemedição e blindagens.

Em 2019, a inadimplência (calculada pela relação percentual entre a provisão para créditos de liquidação duvidosa – PCLD e o fornecimento faturado, no período de 12 meses) foi de 0,93%, 0,24 ponto percentual abaixo da registrada em 2018 (1,17%). O bom resultado da Energisa Rondônia – redução de 5,52% – demonstra a efetividade das ações de cobrança, negociações e cadastro de clientes na tarifa social de energia, que cresceu 54,3%. Energisa Minas Gerais, Energisa Mato Grosso do Sul e Energisa Tocantins também tiveram redução do indicador.

 Indicadores de qualidade e Prêmio Abradee 2019

Com exceção da Energisa Rondônia, todas as distribuidoras do Grupo apresentaram desempenho melhor que a meta da Aneel para os indicadores FEC (frequência das interrupções) e DEC (duração das interrupções) em dezembro, com destaque para as distribuidoras EMG, EMT e ETO. A Energisa Minas Gerais (EMG) alcançou seus melhores valores históricos de FEC. Já a Energisa Tocantins (ETO) e a Energisa Mato Grosso (EMT) obtiveram as melhores evoluções, respectivamente, do DEC no Grupo, desconsiderando as distribuidoras de Rondônia e Acre.

Esses resultados contribuíram para a vitória do Grupo Energisa em seis categorias do Prêmio Abradee 2019, entregue pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica. Foram laureadas a Energisa Nova Friburgo, Energisa Borborema, Energisa Paraíba, Energisa Tocantins e Energisa Sul-Sudeste, que venceu em duas categorias.

Para mais informações acesse: http://ri.energisa.com.br

Sobre a Energisa

Com 115 anos de história, o Grupo Energisa é o 5º maior em distribuição de energia elétrica. Uma das primeiras empresas a abrir capital no Brasil, a companhia controla 11 distribuidoras em Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro, Sergipe, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo, Paraná, Rondônia e Acre. Com receita líquida anual de R$ 16,9 bilhões (ano 2019), o Grupo atende a 7,8 milhões de clientes (o que representa uma população atendida de quase 20 milhões de pessoas) em 862 municípios de todas as regiões do Brasil, além de gerar aproximadamente 20 mil empregos diretos e indiretos.

Com a missão de transformar energia em conforto, desenvolvimento e oportunidades de forma sustentável, responsável e ética, a Energisa atua com um portfólio diversificado que engloba distribuição, geração, transmissão, serviços para o setor elétrico (Energisa Soluções), serviços especializados de Call Center (Multi Energisa), comercialização de energia (Energisa Comercializadora) e soluções em energias renováveis (Alsol).


 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *