Com uma situação financeira bem equilibrada, a ISA Cteep (TRPL4) se prepara para o próximo leilão de transmissão de energia, agendado para o dia 20 de dezembro, segundo informou o CEO (Chief Executive Officer) da companhia (Reynaldo Passanezi Filho).

Neste leilão serão ofertados aos investidores até 18 lotes de empreendimentos, que demandarão aportes de cerca de R$13,5 bilhões. Os vencedores assinarão contratos de concessão de 30 anos.

kentoshima1984 / Pixabay

ISA Cteep encerra os nove primeiros meses de 2018 com resultado robusto. No acumulado de janeiro a setembro, a receita da empresa cresceu 92%, quando comparado com o mesmo período de 2017, somando R$2,1 bilhões. Desse total, R$1,2 bilhão corresponde ao recebimento da indenização pela Rede Básica do Sistema Elétrico Existente (RBSE). Considerando o mesmo período de comparação, o EBITDA da companhia saltou de R$891 milhões para R$1,9 bilhão, revelando crescimento de 111%, margem EBITDA ajustada de 91%.

Apesar do foco no crescimento, política de dividendos será mantida. De acordo com o executivo, embora a companhia deva participar ativamente do próximo leilão de transmissão de energia, a política de dividendos não deverá sofrer alteração. A administração mantém o compromisso assumido junto aos investidores de distribuir dividendos mínimos de 75% do lucro regulatório, através do pagamento de JSCP (Juros Sobre o Capital Próprio), além de antecipar o pagamento referente ao exercício de 2018. A ISA Cteep distribuiu em junho, R$760,3 milhões em dividendos, valor equivalente a R$4,62/ação para ambas as classes.

Investimentos em novos projetos tem elevado o nível de endividamento da companhia. Ao longo dos últimos 12 meses, o endividamento bruto da ISA Cteep saltou de R$1,8 bilhão (30/09/2017), para R$3,0 bilhões (30/09/2018), com um perfil de longo prazo, uma vez que R$2,7 bilhões tem vencimento superior a 12 meses. Com R$1,6 bilhão em caixa, a  companhia encerrou o 3º trimestre com uma dívida líquida de R$1,4 bilhão, a um custo médio de 8,3% a.a. Vale destacar, que este forte crescimento está diretamente atrelado aos investimentos para a construção dos projetos de transmissão vencidos nos últimos leilões.

Covenants sob controle. A ISA Cteep possui covenants negociados com credores que estabelece uma alavancagem máxima de 3,0x Dívida Líquida/EBITDA (Dívida Líquida / Geração de caixa operacional antes de resultado financeiro e impostos). Caso a companhia venha a superar este indicador, está previsto o vencimento antecipado das dívidas.

“A companhia possui uma situação de geração de caixa confortável, que nos permite uma prática de proventos agressivos e ao mesmo tempo ter um crescimento sustentável”, disse Pazzanezi. “Estamos trabalhando para antecipar o JCP para 2018 e a gente está muito longe de 3xEbitda”, completou o executivo, que falou em teleconferência com analistas de mercado para apresentar os resultados do terceiro trimestre.

Novos investimentos elevarão a RAP em ~30%. Atualmente a ISA Cteep está trabalhando na execução de dez novos empreendimentos arrematados em leilões, que demandarão investimentos de aproximadamente R$ 2,9 bilhões e elevarão a Receita Anual Permitida (RAP) atual em cerca de 30%. No período a Companhia assinou contratos de concessão dos lotes arrematados em junho, no Leilão de Transmissão 02/2018 da Aneel. Adicionalmente, no mês de setembro, iniciou-se a construção dos projetos das subsidiárias IE Tibagi e IE Itaúnas.


 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *