Colaboradores da ENGIE arrecadaram R$ 83.704,73 pela declaração de imposto de renda favorecendo duas instituições: Dorina Nowill, de São Paulo e Hospital Pequeno Príncipe, de Curitiba.

A edição de 2019 da campanha Energia Voluntária, lançada pela ENGIE Brasil Energia, conseguiu 71 contribuições de 65 colaboradores da empresa, somando R$ 83.704,73. Esse valor foi arrecadado por meio de doações feitas diretamente pela declaração de imposto de renda de pessoa física dos funcionários. Eles escolheram e destinaram os valores para fundos nacionais, habilitados pela receita federal, entre eles a Fundação Dorina Nowill, de São Paulo, e o Hospital Pequeno Príncipe, de Curitiba.

“A doação de parte do imposto de renda para os projetos da Fundação Dorina Nowill para Cegos é fundamental para a manutenção e sustentabilidade de nossas ações porque são destinadas a um projeto importante que promove o acesso de crianças e jovens com deficiência visual à educação, à informação e à cultura em todo o Brasil”, disse o coordenador de captação de recursos Daniel Montezano. O valor captado será aplicado no projeto “Despertando a Leitura”, que tem como objetivo estimular o interesse e a participação da prática em crianças e adolescentes com deficiência visual.

“Acredito que temos uma função social como empresa e como indivíduos”, afirma o diretor-presidente da ENGIE Brasil Energia e um dos doadores da campanha, Eduardo Sattamini. “Temos que olhar por aqueles que precisam, doarmos nosso tempo ou recursos para fins sociais. Isso é muito gratificante”, observa o executivo.

Funcionário da ENGIE na Usina Hidrelétrica Machadinho – Carlos Ermírio de Moraes (foto acima), na divisa entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, Adir Flávio Sviderske contribui pelo imposto de renda desde 2013. As doações, segundo ele, são seguras e transparentes: “Minha experiência é muito positiva, pois todas as doações que realizei, segui o que preconiza a lei em questão e tudo deu certo. Não tenham medo do “leão” por estarem doando por meio destas leis de incentivo, é tudo legal. Você que ainda não doou, sugiro que faça”, ensina Adir.

As doações são feitas diretamente pelo software da Receita Federal. No ato da declaração, em uma das abas, o contribuinte escolhe entre instituições cadastradas e pode doar até 3% do seu imposto de renda devido. Humberto Lima, Operador de Usina da ENGIE em Tubarão, Santa Catarina, é doador desde 2012: “É muito fácil e uma excelente ação social”

Para o coordenador da Fundação, Daniel Montezano, esse tipo de doação garante transparência na aplicação dos impostos: “Ao destinar uma parte do Imposto de Renda a projetos culturais ou educacionais, você colabora com o desenvolvimento social sem gastar nada a mais”. Ele ressalta ainda como outro ponto positivo a escolha do destino da aplicação do seu imposto. “Pode optar por projetos que visem melhorias na educação, saúde, cultura, capacitação profissional e outros serviços públicos para todos”.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *