O movimento dos caminhoneiros expos de forma indiscutível a precariedade institucional do setor de energia do país.

A percepção reinante é a de que as ações dos três poderes são essencialmente improvisadas, sempre de acordo com as condicionantes do momento.

Os riscos subiram às alturas. Ocorre que desta vez há um fenômeno extra, que merece cuidadosa consideração: muitos investidores internacionais estão repatriando seus recursos.

O resultado tem sido a forte desvalozização do Real, as empresas de energia tiveram uma caida  vertiginosa na Bolsa, muito mais que a média da queda do IBOVESPA.

O país apresenta sinais claros de desestruturação. Bagunça. Legislativo, Executivo e Judiciário não conseguem fazer o seu papel, minimamente.

Em curto prazo. PIB deverá ser bem negativo, a inflação subirá por conta do expressivo aumento de custos nos produtos e serviços.

Em médio prazo, dois aspectos:

1°) No setor energético, a demora infindável das privatizações, tão necessárias, tornará mais agudo o volume dos prejuizos gerados pela ELETROBRÁS, em épocas de deficits astronômicos do Governo; e

2°) Provavelmente, com medidas populistas em torno dos preços dos combustíveis que estão sendo arquitetadas, haverá uma consequencia devastadora também para a PETROBRAS.

E agora, José?


Energy in Brazil: a huge mess

The truck drivers’ strike exposed in an indivisible way the institutional precariousness of the country’s energy sector.

The prevailing perception is that the actions of the three powers (Legislative, Judiciary and Executive) are essentially improvised, always according to the conditions of the moment.

Country risks skyrocketed. It happens that this time there is an extra phenomenon that deserves careful consideration: many international investors are repatriating their resources.

The result has been a strong devaluation of the Real, the energy companies had a vertiginous drop in the Stock Exchange, much more than the average of the fall of the IBOVESPA.

The country shows clear signs of disruption. Legislative, Executive and Judiciary are not doing their jobs.

In the short term. GDP should be “red”, inflation is supposed to rise sharply due to the significant increase in costs of products and services.

In the medium term, two aspects:

1) In the energy sector, the inevitable delay in privatization, which is so necessary, will make the volume of the financial-economic losses generated by ELETROBRÁS more acute in times of astronomical deficits of the Federal Government, (its controller); and

2) Probably, with populist measures regarding fuel prices, there will also be a devastating consequence for PETROBRAS as well.

What’s next?


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *