Uma sistêmica deformidade do setor elétrico, é a convivência com dois extremos: sofisticação e grosseria.

Algumas características mostram sofisticação. Por exemplo a implantação para o Ano Novo, do preço horário, que terá reflexo para os consumidores livres, substituindo o preço semanal. Há potencial para gerar benefícios importantes.

Outras denotam grosserias extremadas, mas infelizmente prevalentes. O apagão no Amapá, os “gatos” sistêmicos que roubam há décadas parcela significativa de toda energia entregue no pais, a inadimplência ostensiva e bilionária, há anos da CCEE, as empresas oficiais de energia que estão há anos para serem privatizadas, falta de um programa de resposta à demanda e a lista vai longe.

Este quadro mostra que não temos dirigentes capazes de estruturar uma estratégia robusta e negociada com todos os envolvidos, não temos um cronograma com atividades, prazos e responsáveis para transformar estratégia em resultados.

Enquanto isso seguimos à deriva, e é claro, nossa falta de capacidade desemboca no óbvio: preços de energia mais caros que nossos concorrentes diretos (BRICS).


Energy in Brazil: sophisticated and coarse

A systematic deformity of the electricity sector, and even of the energy sector more widely, is living with two extremes.

Some features show sophistication. For example, the implementation for the New Year, of the hourly power price, which will reflect on free consumers, replacing the weekly price. There is potential to generate important benefits.

Others denote extreme rudeness, but are unhappily prevalent. The blackout in Amapá, the systematic theft that steal more than 10% of all energy delivered in the country, the ostensive and billionaire default for years by CCEE (the official power clearinghouse), the official energy companies that should have been privatized a long time ago, the lack of a demand response program and the list goes on and on.

We do not have actual leaders in charge capable of structuring a robust and negotiated strategy with all those involved, nor do we have a timeline with activities, deadlines and responsibilities to transform strategy into results.

While we are adrift, and given our lack of leading capacity we end up facing the obvious: energy prices are more expensive than our direct competitors (Russia, India, China and South Africa).


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *