• EBITDA aumentou devido a maiores receitas e menores custos operacionais, em razão do processo de otimização em andamento
  • Os índices de duração e frequência equivalente de interrupção por unidade consumidora (DEC e FEC) melhoraram 7,9% e 9% em relação a 1S 2018

 Principais destaques financeiros (milhões de Reais)

Max Xavier, Responsável pela Enel Distribuição São Paulo, ressalta: O processo de integração em andamento da Enel Distribuição São Paulo ao Grupo Enel contribuiu para os resultados financeiros e operacionais positivos no primeiro semestre do ano. Continuamos focados em criar valor adicional para a companhia e seus stakeholders, seguindo nossos esforços para melhorar os indicadores de qualidade do serviço da empresa no próximo ciclo tarifário”.       

Barueri, 30 de julho de 2019 – A Diretoria da Enel Distribuição São Paulo divulgou hoje os resultados financeiros e operacionais da companhia no primeiro semestre de 2019.

  • Receita Bruta: alta, principalmente em razão do aumento na venda de energia (+1,5%) nos mercados regulado e livre, especialmente no primeiro trimestre de 2019, e ao reajuste tarifário médio da ANEEL aplicado à companhia em julho de 2018 (+15,84%).
  • EBITDA: aumento principalmente em função de maiores receitas e da redução de despesas operacionais em comparação com o mesmo período do ano passado, como parte do processo de integração e otimização, mais do que compensando o aumento das provisões para inadimplência no último trimestre.
  • EBIT: alta, em linha com o EBITDA, com aumento de depreciação e amortização decorrentes dos investimentos realizados nos últimos 12 meses. 
  • Lucro Líquido: aumento em razão da melhor performance operacional e melhores resultados financeiros[1] atribuídos principalmente ao Liability Management da companhia.
  • Dívida Líquida: alta, devido aos investimentos realizados nos últimos 12 meses. Resultado em linha com a estratégia financeira da companhia.
  • Capex (Investimentos): voltado principalmente à digitalização e modernização da rede de distribuição, por meio, por exemplo, de sistemas de automação da rede e novas subestações, bem como conexões de novos clientes.

  Destaques Operacionais

 * Perdas de energia, DEC e FEC calculados ao longo de um período de 12 meses (Julho 2018 a Junho 2019). DEC mede a duração das interrupções em horas, FEC expressa a relação entre número de interrupções e número de clientes.

  • Venda e Transporte de Energia (energia distribuída) aumentaram no mercado regulado (+1,3%) e no mercado livre (+2,3%) como consequência de temperaturas mais elevadas, especialmente no 1T19 comparado com o mesmo período do ano anterior.
  • Índices regulatórios de Duração e Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC / FEC) melhoraram para 7,53 horas e 4,42 vezes, respectivamente, como resultado dos investimentos na modernização e confiabilidade da rede realizados nos últimos 12 meses.
  • Perdas de energia em linha com 1S18.

 [1] Resultados Financeiros = receitas financeiras menos despesas financeiras.


 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *