Independentemente da linha ideológica de cada um:de nós, as empresas de energia devem prestar um bom serviço, por um preço “equilibrado”.

Devem oferecer anualmente um retorno consistente aos seus acionistas. No caso de empresas controladas pelo Estado, espera-se que gerem um retorno ao povo brasileiro.

No mundo há exemplos em abundancia de empresas publicas e privadas que atendem a estes critérios! Não no Brasil, infelizmente. A maioria das empresas controladas pelo Estado estão em situação econômico-financeira bem abaixo das exigências regulatórias, conforme ANEEL, isto apesar das tarifas no Brasil serem as campeãs (mais alta) entre os BRICS (com quem o Brasil compete). Há muitos anos!

Nosso “arcabouço” é tal que nossas empresas de energia controladas pelo Estado são um sistêmico sumidouro de recursos do povo. Não conseguem investir na requerida ampliação da oferta. O Brasil não tem sido capaz de administrar estas empresas assim como deveria.

A saída é a privatização. Por falta de alternativa, com realismo. Chega de desperdiçar preciosos e escassos recursos.


Power companies: privatize or not ?

Regardless of the ideological line of each: from us, power companies should provide a good service, for a “balanced” price/rates.

They must offer a consistent return to their shareholders annually. In the case of state-controlled companies, they are expected to generate a return to the Brazilian people.

In the world there are abundant examples of public and private companies that meet these criteria! Not in Brazil, unfortunately. Most state-controlled companies are in an economic and financial situation well below regulatory requirements, according to ANEEL, despite tariffs in Brazil being the highest among BRICS (with which Brazil competes). This has been going on for many years!

Our “framework” is such that our state-controlled energy companies are a systemic sink of people’s resources. They are not in a condition to invest in the required increase in supply.

Privatization is the way out of this messy situation. For lack of alternative. Enough of wasting precious and scarce resources.


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *