A catarinense WEG, de Jaraguá do Sul, e a Embraer, de São José dos Campos, SP, os dois maiores exportadores de alta tecnologia do Brasil, firmaram uma parceria para desenvolver pesquisas conjuntas visando fabricar aviões elétricos. Tradicional produtora de sistemas de propulsão elétrica para navios de apoio a plataformas de petróleo, ônibus e outros veículos, a WEG viu oportunidade de avançar em desenvolvimento para propulsão elétrica também de aeronaves.

A novidade foi anunciada para um grupo de jornalistas internacionais do segmento aeronáutico pelo vice-presidente executivo e presidente de Engenharia e Tecnologia da Embraer, Daniel Moczydlower e pelo diretor executivo da WEG Automação, Mandred Peter Johann. O primeiro voo do projeto está previsto para o ano que vem. Numa primeira fase, os futuros aviões elétricos vão facilitar a aviação regional com linhas aeréas de menores custos, sem a emissão de poluentes na atmosfera.

Primeiro as tecnologias serão testadas em laboratório, e os testes em voo serão numa pequena aeronave monomotor, o EMB-203 Ipanema. Segundo as duas empresas, a parceria é para pesquisa e desenvolvimento pré-competitivos para acelerar conhecimento das tecnologias necessárias para aumentar a eficiência energética de aeronaves a partir do uso e integração de motores elétricos em sistemas de propulsão inovadores.

– Nossa tecnologia de powertrain, desenvolvida ao longo de anos para aplicações testadas e comprovadas em trens, ônibus, caminhões e barcos, e em constante evolução, abriu o caminho para este estimulante projeto de cooperação científica e tecnológica. Juntamente com a Embraer, trabalharemos não apenas para possibilitar a propulsão elétrica de aeronaves, mas também para aumentar a capacidade tecnológica da WEG, da Embraer e do Brasil, levando nosso país a um nível ainda mais competitivo – afirmou Manfred Johann, da WEG.

– Ao criar este acordo de desenvolvimento tecnológico com a WEG, combinamos mais de 100 anos de inovação de duas empresas líderes na geração de conhecimento e fortalecimento da cadeia de suprimentos, além de aumentar a competitividade brasileira no mercado global – disse Daniel Moczydlower, da Embraer Para o executivo, os avanços na pesquisa científica podem tornar a energia limpa e renovável um importante facilitador de uma nova era de mobilidade aérea urbana e regional que seja mais acessível à população.

Na foto acima, Manfred Johann (E), da WEG, e Daniel Moczydlower, da Embraer, anunciam parceria.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *