A Eletrobras informou hoje (15) que reabriu um novo período de inscrições do seu Plano de Demissão Consensual (PDC). Esse planof foi lançado originalmente em 26/03/2018 (vide link), seguindo diretrizes do Plano Diretor de Negócios e Gestão para o período de 2018 a 2022 (“PDNG 2018-2022”) aprovado em 15/12/2017 (vide link). Segundo a empresa, o plano implantado simultaneamente nas empresas Eletrobras Cepel, Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica – Eletrobras (CGTEE), Chesf, Eletronuclear, Eletronorte, Amazonas GT, Eletrosul e Furnas, além da própria holding, é mais uma fase do plano estratégico da estatal para reduzir custos com pessoal.

Os empregados têm até dia 26 de outubro para aderirem ao plano. Os desligamentos ocorrem em turmas mensais até dezembro. “São elegíveis ao PDC empregados que tenham, no mínimo, dez anos de vínculo empregatício com a empresa, no momento do desligamento; ou anistiados e reintegrados à empresa por meio da Comissão Especial Interministerial de Anistia – Lei nº 8.878/1994 [neste caso não há exigência de tempo mínimo de empresa]”, informou a Eletrobras.

Dentro do PDNG 2018-2022, a estimativa de redução dos custos de pessoal através do Plano de Incentivo ao Desligamento (PID) era de R$ 890,4 milhões/ano, caso houvesse desligamento em 2018 de cerca de 3.017 empregados. O custo estimado, para o desligamento desses empregados, era de cerca de R$ 965 milhões. Na primeira fase do plano, 733 empregados aderiram ao desligamento. Segundo a Eletrobras, a medida representou uma economia de R$ 254 milhões anuais. A nova meta da Eletrobras é o desligamento de 2.281 empregados, e caso esta meta seja atingida, estima-se uma economia para a Companhia de cerca de R$ 660 milhões/ano a um custo aproximado de R$ 730 milhões.

A Eletrobras disse que reabertura do plano de desligamento se dá pela crescente automação adotada, pela utilização de um sistema de gestão empresarial unificado nas companhias e também pela criação de um Centro de Serviços Compartilhados. “Além disso, a redução de quadro de pessoal busca um alinhamento dos custos da Eletrobras às tarifas, evitando prejuízos operacionais no futuro”, disse a estatal.

Fonte: Agência Brasil (link), Eletrobras (link, link e link)


 

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *