‘Diluir a participação do governo é uma saída para garantir governança na estatal’

‘Capitalização é saída mais rápida que privatização’, diz presidente da Eletrobras

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, disse que a melhor maneira de fazer a privatização da estatal de energia é seguir com o plano de capitalização da companhia. A medida, que vem sendo gestada nos últimos dois anos, ainda não tem data para ser concretizada, mas é uma das prioridades do atual mandato do executivo, mantido na presidência da empresa pelo presidente Jair Bolsonaro.

Fazer uma capitalização é mais rápido que uma privatização -, disse Ferreira Junior em palestra no Latin America Investment Conference, evento anual para investimentos promovido ontem , 29/1, pelo Banco Credit Suisse na capital paulista.

No painel, Ferreira Junior comemorou os resultados obtidos em dois anos à frente da estatal. Entre as conquistas está o programa de redução da dívida. Quando assumiu a estatal, em 2016, a dívida beirava oito vezes a geração de caixa. Hoje está em 3,3 vezes.

Para o presidente da Eletrobras, o futuro da estatal está nos mercados de geração e transmissão de energia. No foco estão investimentos em energias renováveis e no mercado livre.

—Temos porte para ser um grande player no mercado livre. É uma tendência que vamos ver no Brasil em breve—disse.

Perguntado pela plateia do evento sobre o valor ideal para a capitalização na Eletrobras, Ferreira Junior afirmou que o valor exato ainda não está definido. Há, contudo, a conclusão de que o valor deve superar os R$ 12 bilhões aventados inicialmente para esse projeto.

—Tem que ter garantia de que haverá ganhos para a operação, garantindo a descotização e que o governo terá 49% (do capital da empresa)—disse o executivo.

Fonte: O GLOBO

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *