Novo relatório da IRENA reafirma as energias renováveis como solução econômica para reforçar a ação global em matéria de alterações climáticas

A energia renovável é a fonte de eletricidade mais barata em muitas partes do mundo hoje em dia, segundo o mais recente relatório da Agência Internacional de Energia Renovável – IRENA – apresentado em Abu Dhabi, em 29/5. O relatório contribui para o debate internacional sobre ações em escala mundial para mitigação e adaptação a alterações climáticas,antes da reunião preparatória da United Nations Climate Action Summit, a ocorrer nestes Setembro em Abu Dhabi. Com os preços em queda, a vantagem das energias renováveis em termos de custo irá prolongar-se ainda mais, segundo o relatório “Custos de Produção de Energia Renovável em 2018”. Isso fortalecerá as perspetivas comerciais e solidificará o papel das renováveis como motor de transformação global da energia.

“A energia renovável é o alicerce de qualquer desenvolvimento que vise ser sustentável”, afirmou o Diretor-Geral da IRENA, Francesco La Camera. “Devemos fazer tudo o que pudermos para impulsionar as energias renováveis, se quisermos atingir os objetivos climáticos do Acordo de Paris. O relatório de hoje envia um sinal claro à comunidade internacional: A energia renovável proporciona aos países uma solução climática econômica que possibilita uma ação crescente. “Para aproveitar plenamente a oportunidade econômica das renováveis, a IRENA irá trabalhar em estreita colaboração com os nossos membros e parceiros para promover soluções locais e ações concertadas que resultarão em projetos de energia renovável.”

O ano passado viu um recorde na diminuição dos custos das tecnologias de energia renovável. O custo médio ponderado global da eletricidade proveniente de energia solar concentrada (CSP) diminuiu em 26%, o da bioenergia em 14%, o da energia solar fotovoltaica (PV) e a energia eólica onshore em 13%, o da energia hidroelétrica em 12% e o da energia geotérmica e eólica marítima em 1%.

Os custos das reduções, sobretudo no caso das tecnologias solar e eólica, deverão manter-se na próxima década, segundo o novo relatório. De acordo com a base de dados global da IRENA, mais de três quartos da energia eólica terrestre e quatro quintos da capacidade da energia solar fotovoltaica que serão encomendados no próximo ano produzirão energia a preços mais reduzidos do que as opções mais baratas de carvão, petróleo ou gás natural. Mais importante, eles farão isso sem apoio financeiro.

Os projetos de energia eólica terrestre e de energia solar fotovoltaica custam entre três e quatrocentésimos de dólar por quilowatt/hora e já são possíveis em áreas com bons recursos e com ambientes regulatório e institucional favoráveis. Por exemplo, os recordes nos preços baixos de leilão de energia solar fotovoltaica no Chile, México, Peru, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos apresentaram custo médio de eletricidade de até três cêntimos de dólar por quilowatt / hora (USD 0,03/kWh).

A eletrificação com base em energias renováveis competitivas em termos de custo é a espinha dorsal da transformação de energia e uma solução chave de baixo custo de descarbonização para apoio aos objetivos climáticos estabelecidos no Acordo de Paris.

Leia o relatório da IRENA “Custos de Produção de Energia Renovável em 2018”

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *