Material destaca o desempenho social, ambiental e econômico da empresa que completou em 2018 cinco anos de atuação 

A CTG Brasil acaba de disponibilizar o seu Relatório Anual de Sustentabilidade, de acordo com os padrões da Global Reporting Initiative (GRI). O relatório traz o desempenho social, ambiental e econômico alcançados pela companhia em 2018, considerando todas as operações e subsidiárias, além dos investimentos e das principais ações e programas realizados no último ano. A companhia fechou 2018 com receita bruta de R$ 5,6 bilhões e R$ 300,6 milhões em investimentos.

“Em 2018, comemoramos cinco anos de atuação. Nesse curto período, construímos um portfólio sólido, nos tornamos a segunda maior geradora privada de energia elétrica do País, com capacidade instalada de 8,28 GW. Formamos um time forte, com uma cultura orientada por segurança, excelência operacional, ética, transparência nos negócios e respeito às pessoas e ao meio ambiente”, afirma Li Yinsheng, presidente da CTG Brasil.

“As ações realizadas e divulgadas nesse relatório demonstram nosso compromisso de longo prazo com o Brasil, um mercado que consideramos estratégico devido às suas necessidades energéticas e em função do seu potencial de crescimento, e recursos para o desenvolvimento e operação de geração de energia renovável em larga escala – principal negócio da CTG”, completa Li.

Investimentos na modernização de ativos

No ano passado, a empresa seguiu com o seu projeto de modernização das usinas Ilha Solteira e Jupiá, localizadas no Rio Paraná, e chegou às etapas finais do projeto de modernização de três turbinas da usina Capivara, no Rio Paranapanema. No total, foram investidos R$ 300,6 milhões nas atividades.

Na modernização de Ilha Solteira e Jupiá (foto acima), o investimento total será de R$ 3 bilhões, com período de execução previsto de dez anos, e inclui a reforma das 34 máquinas das duas usinas, sua automação e um novo Centro de Operação da Geração (COG), além de melhorias nos serviços auxiliares, equipamentos de içamento e vertedouros. O projeto, considerado o maior já realizado no País, tem como objetivo garantir maior confiabilidade e disponibilidade dessas operações ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Pesquisa e Desenvolvimento (P&D)

 A companhia destinou, em 2018, R$ 8 milhões a atividades de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D), focando, principalmente, em projetos orientados a criar conhecimento técnico e científico para apoiar ganhos de eficiência das operações da companhia, o crescimento do setor elétrico brasileiro e projetos de meio ambiente e sociais. Dentre os temas dos projetos estão a esterilização dos mexilhões-dourados para controle da população do molusco (espécies invasoras nos rios brasileiros); a criação de um regulador pneumático para a velocidade das turbinas hidrelétricas; identificação e controle de macrófitas; gestão de diversidade de peixes e valoração de serviços ecossistêmicos.

Visão sustentável

Para avançar em sua estratégia de sustentabilidade, a empresa, que já era signatária do Pacto Global, se tornou membro da Rede Brasil do Pacto Global e passou a integrar o Comitê Brasileiro do Pacto Global, instância de governança que dá encaminhamento aos programas no país. Promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU), essa é a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo.

Engajamento com a comunidade

 Valorizar e fortalecer as comunidades próximas às operações são pontos primordiais à CTG Brasil. Por isso, a empresa realizou atividades no valor de R$ 15,5 milhões para estabelecer relacionamento duradouro com as populações dos entornos das unidades. Elas se concentram em temas como educação, cultura e incentivo ao esporte, e beneficiaram cerca de 600 mil pessoas durante o ano.

Proteção ambiental

O uso sustentável dos recursos e o respeito ao meio ambiente são a base da atuação de proteção ambiental da companhia. Por isso, buscamos desenvolver ações e programas voltados à proteção da biodiversidade, restauração de habitats naturais, prevenção da poluição e adaptação às mudanças climáticas. Em 2018, realizamos a soltura de 3,6 milhões de alevinos de peixes de espécies nativas nas regiões dos reservatórios onde a empresa atua para ampliar a biodiversidade e o estoque pesqueiro dos rios.

Atividades de educação ambiental e a doação de mudas de árvores a proprietários do entorno dos reservatórios também estão entre as ações realizadas. Em 2018, por exemplo, 107.735 mudas foram doadas para plantio de áreas de terceiros em 25 municípios da região do Rio Paranapanema e 950 mudas foram plantadas na região da Usina Garibaldi, no rio Canoas, em Santa Catarina (SC).

2018 em números

A hidrologia na região dos reservatórios das usinas da empresa, em 2018, foi desfavorável causando queda de 1,4% na geração de energia, que chegou a 33.948,9 GWh. Ainda assim, a taxa de disponibilidade das usinas ficou, mais uma vez, acima dos limites regulatórios, resultado que reflete, principalmente, a experiência, capacidade técnica e comprometimento de suas equipes, a consistente política de investimentos da Companhia e o eficiente programa de manutenção dos equipamentos.

Em relação ao desempenho financeiro, a receita líquida combinada das operações da CTG Brasil totalizou R$ 2,8 bilhões em 2018 e a geração operacional de caixa (Ebitda) foi de R$ 1,4 bilhão. Os números foram impactados devido ao ajuste na metodologia contábil aplicada ao ativo financeiro da Rio Paraná Energia. Normalizando esse efeito contábil, a receita líquida combinada atingiu R$ 4,7 bilhões e o Ebitda foi de R$ 3,2 bilhões.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *