Projeção mostra preços estáveis no Sudeste e queda nas regiões Sul e Norte

Após dois anos com fortes altas na conta de luz, a Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica-  veem fazendo grandes esforços para que as contas baixem. Em 2018, o preço da energia elétrica para residências deverá fechar com alta média de 15% ante 2017 — quando o aumento foi de 14%.  E para 2019, os brasileiros serão premiados com reajustes bem abaixo das taxas de dois dígitos.

No ano que vem, a tarifa deverá ficar estável, com elevação média de 0,38%, segundo a assessoria TR Soluções, especializada em preços de eletricidade. Existem variações entre as 38 distribuidoras analisadas, já que os reajustes, em diferentes épocas do ano, são afetados por fatores distintos.

Na média, as distribuidoras do Nordeste terão a maior alta (3,09%). Centro-Oeste terá 2,13%, e Sudeste, 0,94%. No Sul e no Norte, deve haver retração: -2,58% e -5,03%, respectivamente.

Outra consultoria, Thymos Energia, projeta reajuste médio entre 5% e 6%. A alta em 2018 ocorreu sobretudo pelo regime de chuvas fraco, que reduziu a capacidade de geração das usinas hidrelétricas e provocou o acionamento de usinas térmicas, que são mais caras. A expectativa é que, em 2019, a falta de chuvas afete menos as tarifas de energia elétrica.

Fontes: UOL e Secretaria de Energia do Estado de São Paulo



 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *