O Índice de Confiança do Comércio, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), caiu 1,2 ponto de agosto para setembro e chegou a 88,7 pontos em uma escala de zero a 200.

Com o resultado, o indicador atingiu o menor patamar desde agosto do ano passado (84,4 pontos).

Lojas de Brasília, comércio, consumo, consumidor, computador, notebook
Pesquisa mostra que donos de lojas estão preocupados com os rumos da economia (Arquivo/Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Segundo o coordenador da pesquisa, Rodolpho Tobler, a queda do Índice de Confiança parece refletir a incerteza em relação ao ritmo esperado para a economia nos últimos meses do ano: “A nova queda da confiança do Comércio em setembro parece refletir a incerteza em relação ao ritmo esperado para a economia nos últimos meses do ano. O Índice de Expectativas voltou a cair depois de esboçar uma melhora no mês anterior, sugerindo que os empresários ainda estão preocupados e incertos com o rumo da economia. Já o índice que mede as percepções sobre a situação atual, ficou estável após quatro meses em queda, confirmando o ritmo vagaroso da recuperação do setor”.

O recuo do indicador foi provocado por uma menor confiança no futuro, já que o Índice de Expectativas caiu 2,4 pontos, chegando a 92,2, influenciado pela piora do indicador de tendência dos negócios nos seis meses seguintes. Já o Índice de Situação Atual, que mede a confiança no momento presente, ficou estável em 85,7 pontos, após quatro quedas consecutivas. A queda da confiança em setembro ocorreu entre empresários de nove dos treze segmentos do comércio pesquisados pela FGV.

Os resultados, de acordo com Tobler, mostram que os empresários ainda estão preocupados com o rumo da economia.

Fontes: FGV (no link), e Agência Brasil (no link).


 

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.