A consultoria brasileira Greener realizou uma pesquisa entre as empresas brasileiras de energia solar para avaliar o impacto da pandemia de Covid-19 no setor fotovoltaico.

A empresa conversou com 541 empresas, das quais 75% foram representadas por integradores de sistemas. “Analisando os dados de todos os segmentos, vemos que boa parte do setor já está sofrendo os impactos da crise atual”, afirmou Greener.

Custos aumentados

De acordo com os dados coletados, 71% das empresas pesquisadas já viram seus pedidos diminuírem, devido a retirada ou adiamento, enquanto outros 85% são afetados por uma redução na demanda por sistemas fotovoltaicos.

Greener relata que 50% das empresas já foram afetadas por um aumento nos custos de sistemas fotovoltaicos, devido à queda da moeda brasileira nas últimas semanas. Cerca de 49,2% dos entrevistados disseram estar preocupados com o aumento dos preços dos sistemas fotovoltaicos.

Outras preocupações são questões de logística (23,5%), disponibilidade de sistemas fotovoltaicos no mercado (17,2%), problemas de conexão à rede (11,8%), fornecimento de módulos fotovoltaicos (10, 5%) e a oferta de inversores (8,5%), e uma série de questões menores que representam o percentual restante.

Em relação ao segmento de grande escala, Greener relata que cerca de 60% dos investidores e desenvolvedores foram afetados por um aumento no custo do equipamento. “Por outro lado, a natureza dos contratos de fornecimento de energia para grande parte dos projetos de grande escala prevê um horizonte de execução de médio e longo prazo, o que proporciona maior flexibilidade que permite que as despesas mais importantes sejam realizadas sob condições de mercado mais favorável”, indicou o consultor.

Principais recomendações

Greener também forneceu uma série de sugestões sobre como lidar com as difíceis condições de mercado criadas pela pandemia de Covid-19. “Apesar dos impactos que essa crise sem precedentes pode trazer para toda a sociedade, enfatizamos a importância das empresas agirem racionalmente nesse momento de incerteza”, alertou.

A lista de recomendações inclui:

·  Garanta a segurança e a saúde do equipamento e siga as recomendações das autoridades

·  Identifique os principais riscos e procure alternativas para mitigá-los

·  Mapeando os custos fixos e variáveis da empresa e buscando otimizar despesas

·  Negocie os termos e condições de pagamento

·  Verifique se os provedores estão enfrentando algum tipo de problema relacionado à pandemia

·  Fortalecer a marca e impulsionar a inovação na maneira de se comunicar

·  Fortalecer a equipe no período pós-crise e investir em treinamento

·  Trabalhe remotamente quando possível e garanta que os funcionários sigam rigorosamente os conselhos de higiene e saúde.

·  Ter quarentena para funcionários que podem estar infectados


 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *