Toyota, VW, Ford, KIA e Hyundai já preparam seus lançamentos em 2019

Nissan e Renault saíram na frente com as vendas no Salão

12ª geração do Corolla terá versão híbrida flex que pode “aposentar” o Prius no Brasil

O ano novo será recheado de lançamentos, incluindo versões alternativas. O mercado está pedindo. A transformação em lei do programa “Rota 2030” e a regulamentação de alguns dos seus itens principais vão impactar as estratégias de lançamentos de produtos fabricados no Brasil ou na Argentina, já a partir de 2019.

Um dos pontos significativos foi o enquadramento dos modelos híbridos, com motor flex, em uma nova categoria fiscal. Eles não estavam contemplados com nenhuma diferenciação de imposto sobre os que utilizam apenas gasolina. Antes, é preciso explicar o IPI nos carros atuais. Até 1 litro de cilindrada a alíquota de 7% aplica-se a qualquer combustível…

Entre 1 e 2 litros, gasolina tem alíquota de 13% e motores flex (ou só a etanol), 11%. Acima de 2 litros, 25% e 20%, respectivamente. Agora, um híbrido flex se enquadra numa faixa de IPI de até 8%.

Deve-se destacar que um modelo com essa motorização, se abastecido com etanol, apresenta emissão de CO2 (gás de efeito estufa) quase igual à de um carro elétrico, cuja bateria seja recarregada por energia de fonte fóssil (termoelétrica a carvão, gás ou diesel). Tudo dentro do conceito de ciclo fechado.

A mudança fiscal levou a Toyota a anunciar, imediatamente, que fabricará um automóvel com essa solução de híbrido flex no Brasil, sem marcar data ou apontar um produto. Mas é fácil concluir que se trata da 12ª geração do Corolla, a ser lançada em no segundo semestre, e sua versão híbrida flex, no final do ano. Como o preço deverá ser um pouco mais em conta que o atual híbrido Prius, este provavelmente deixará de ser comercializado aqui no Brasil.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Toyota e UOL

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *