Com o início do período chuvoso, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) reafirmou hoje (17) a decisão de  não despachar usinas termelétricas fora da ordem de mérito de custo, o que significa não utilizar usinas termelétricas mais caras. A operação dessas usinas começou em setembro, permanecendo ligadas até a primeira semana de outubro, em razão do baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas.

O comitê também decidiu, a partir das melhores condições de suprimento do sistema elétrico, que não há necessidade de continuar com reuniões semanais. “Caso haja alteração significativa das condições de suprimento até a próxima reunião ordinária do Comitê, prevista para 7 de novembro de 2018, poderá ser agendada reunião extraordinária”, disse o CMSE.

Segundo o CMSE, nos últimos sete dias choveu nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste com valores ligeiramente superiores à média histórica. “Nos próximos sete dias as precipitações deverão atingir as regiões Sudeste, Centro-Oeste e oeste do Nordeste. Essa situação caracteriza o início do período chuvoso”, informou o CMSE em nota.

De acordo com o comitê, as bacias mais beneficiadas serão as dos rios Grande, Paranaíba, São Francisco, Doce, Tocantins e, em menor medida, Xingu, Itaipu, Iguaçu e Madeira.

Na reunião, o ONS destacou que no mês de outubro de 2018, até o dia 15, foram verificados os valores de Energia Natural Afluente – ENA bruta de 90% no Sudeste/Centro-Oeste, 101% no Sul, 35% no Nordeste e 58% no Norte, referenciados às respectivas Médias de Longo Termo – MLT. A ENA das bacias dos rios Grande, Paranaíba, São Francisco e Tocantins, que juntos concentram cerca de 80% da capacidade de armazenamento do Sistema Interligado Nacional – SIN, apresentaram no mês de outubro de 2018, até o dia 15, os valores de ENA bruta de 73%, 63%, 35% e 50%, respectivamente, referenciados às respectivas Médias de Longo Termo – MLT.

A Energia Armazenada – EAR verificada no dia 15 de outubro de 2018 foi de 21,2%, 56,9%, 26,8% e 33,7% nos reservatórios equivalentes dos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte, respectivamente, referenciados às respectivas EAR máximas.

O nível de armazenamento do subsistema Sudeste/Centro-Oeste está 3,0% acima da curva de referência para este subsistema. Além disso, o Comitê destacou que está garantido o suprimento eletroenergético do SIN e permanecerá acompanhando permanentemente as condições de suprimento do Sistema Elétrico Brasileiro.

A íntegra da nota do CMSE pode ser acessada através desse link.

Fonte: Agência Brasil (link), Assessoria de Comunicação Social do Ministério de Minas e Energia (link).

 

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *