CANALENERGIA | As subsidiárias da Eletrobras Chesf e Furnas e a estatal paranaense Copel não poderão participar do próximo leilão de transmissão por não atenderem aos itens de habilitação dispostos no edital, informou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU) nesta quinta-feira, 14 de novembro.

Segundo do despacho nº 3.166, as empresas não atendem ao item 10.9.5 do edital, que trata do histórico de desempenho na implantação de obras de transmissão. Pela regra, empresas com atraso na entrega de empreendimentos e com histórico de penalidades recorrentes estão impedidas de participar da disputa.No final de outubro, Furnas chegou a abrir chamada pública para procurar sócio para participar do certame.

O leilão 02/2019 será realizado em 19 de dezembro, em São Paulo, em local a ser definido. No certame serão ofertados 12 lotes com 33 empreendimentos, somam 2.380 km de linhas de transmissão, com investimentos estimados em R$ 4 bilhões.

Por Wagner Freire (Canalenergia)

Qual a TIR implícita neste leilão?

Para ter acesso completo ao relatório de avaliação destas 12 linhas de transmissão e ao Valuation Model interativo destes empreendimentos, faça sua assinatura por apenas R$39,90/mês.

Aneel define TIR elevada para os 12 empreendimentos listados no Leilão 02/2019

De uma forma geral a TIR implícita definida pela Aneel para este certame é “muito” superior a TIR que foi definida para o Leilão nº 04/2018. Isto, além de sinalizar a preocupação do regulador em atrair um grande número investidores privados para a expansão do sistema de transmissão, certamente resultará em uma forte competição por estes ativos, eliminando o risco de “lotes vazios”.

“Assumindo o Capex indicado pela Aneel, assim como a RAP Máxima do leilão, nossos modelos indicam uma faixa de retorno (TIR Real do Projeto) entre 8,0%-14,6% desalavancada.”

Quanto a TIR (Taxa Interna de Retorno) do Acionista (alavancada), considerando uma alavancagem máxima ótima de 80%, sendo 70% através de linhas com bancos de fomento (BNDES, BNB e etc) e 30% através de Debêntures Incentivadas (15 anos de amortização e custo médio de IPCA + 4% ao ano), esta se situa em um range entre 15,5%-31,6%.

PONTOON-E | Leilão de Transmissão  nº 02/2019: Análise Preliminar

Fonte: Pontoon-e & Aneel

Destacamos que os números apresentados acima não contemplam nenhum deságio na RAP Máxima e tampouco redução no capex sinalizado pela Aneel. Esta análise de sensibilidade é apresentada na última seção do relatório disponível para nossos assinantes.

Por Agência Pontoon-e

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *