No começo de minha carreira de consultor para assuntos de energia, fui estimulado por um engenheiro de manutenção de uma multinacional do setor automotivo a prosperar com uma ideia que apresentei.

Tratava-se de instalar um grupo gerador para operá-lo no horário de ponta, substituindo a concessionária local com potencial de uma redução importante de custo na conta de energia elétrica e também em emergências, quando da falta de energia através da rede pública.

O meu entusiasmo e o estímulo deste engenheiro alavancaram horas e horas de trabalho “por minha conta e risco” para modelar o gerador que melhor se adequasse a aquela situação. Meio ano depois o engenheiro do cliente se disse satisfeito sugerindo então que eu preparasse uma apresentação para o diretor da empresa.

No dia da reunião, entramos na sala do diretor. Perguntou o que desejávamos. O engenheiro rapidamente explicou a solução que estávamos trazendo para consideração informando termos uma apresentação.

E aí para minha surpresa, o diretor perguntou: e quem disse que este assunto está em meu radar?
Saímos da sala do diretor em menos de 5 minutos ! O assunto nem foi considerado !

A lição que aprendi naquela oportunidade e que valeu para toda minha carreira é a de que antes de detalhar soluções, é imperativo

descobrir quais são os problemas que devem ser resolvidos!
Óbvio não é ?


Case: emergency and peak genset 

Eraly In my career as an energy consultant, I was encouraged by a maintenance engineer from an automotive multinational to thrive on an idea I presented.

It was about installing a genset and operate it on peak hours, replacing the local utility with the potential of a significant cost reduction in the monthly power bills and also in emergencies (unplanned power interruptions).

My enthusiasm and the encouragement of this engineer were good enough for me then to work “at my own risk” to model the generator that best suited that situation. My compensation would come when the decision would be made to “go for it”. Half a year later, the client’s engineer said he was pleased and then suggested that I prepare a presentation for the director of the company.

On the day of the meeting, we entered the principal’s office. He asked what we wanted. The engineer quickly explained the solution we were bringing to consideration by stating we had a presentation.

And then to my surprise, the director asked: and who said that this subject is on my radar?

We left the director’s office in less than 5 minutes! The subject was not even considered!

The lesson I learned at that time is that before you dig deeper into solutions, it is imperative to find out what problems are to be solved !

Obvious isn’t it ?

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *