Uma grande multinacional americana do setor de auto-peças, com diversas unidades industriais espalhadas pelo Brasil, desejava fazer um diagnóstico de oportunidades na área de energia.

Falei inicialmente com o vice-presidente que cuidava da área industrial para entender o contexto do diagnóstico desejado.

Com o gerente de produção de cada unidade, visitei as fábricas todas para conhecer o ambiente industrial, as instalações, as principais cargas de consumo de energia, as subestações de entrada de energia elétrica, os sistemas de controle e gerenciamento de energia e para conversar com os responsáveis pelos usos da energia.

Descobri situações incríveis que passaram batido por anos a fio da empresas. Cito aqui:

  1. Os contratos de energia elétrica livres estavam super dimensionados
  2. As sobras eram liquidadas no SPOT por um preço bem inferior ao contratado
  3. Os contratos de gás estavam subdimensionados
  4. As faltas eram compradas no mês a mês
  5. Os responsáveis pela contratação do gás estavam descentralizados nas unidades
  6. Os responsáveis pela contratação de energia elétrica estavam centralizadas na matriz
  7. Os responsáveis pela contratação de gás e de energia elétrica não se falavam
  8. As unidades usavam fornos a gás que substituíram os anteriores elétricos
  9. Algumas unidades estavam ociosas (capacidade de produção bem acima da demanda)
  10. Outras unidades precisavam ampliar para atender a demanda
  11. Não havia predisposição de aportar investimentos

Dado o quadro, depois de meses de estudos e reuniões, cheguei a soluções incrivelmente simples e efetivas. Recomendei:

I – Contratação de energia

  • Reduzisse o consumo de gás até o limite do contratado (evitando excedentes)
  • Substitui-se o uso do gás acima referido, por energia elétrica, através dos fornos disponíveis
  • Zerasse a liquidação de sobras contratuais de energia elétrica com prejuízo

Os resultados foram medidos em milhões de economia. Resultado da comparação do custo total da energia elétrica e gás anterior e a nova em que o gás foi substituído pela energia elétrica.

Esta solução foi sugerida enquanto o preço do SPOT estivesse baixo. Recomendei que mensalmente fosse comparada a utilização de eletricidade substituindo o gás ou vice versa conforme os preços do SPOT de energia elétrica e do gás.

II – Otimização de ativos

  • Uma das unidades operava apenas com um transformador 138 kV/13 kV
  • Havia um transformador de reserva, que estava ocioso
  • Outra unidade estava no limite de contratação de demanda em 13 kV
  • A concessionária exigiu que o cliente migrasse para 138 kV para aumentar sua demanda
  • Propus que o transformador ocioso fosse trazido para esta unidade
  • O transformador é o maior item de custo de uma subestação
  • Assim o cliente teria que “apenas” investir nos itens de menor custo
  • Portanto viabilizaria a expansão da unidade sem investimentos maciços

Esta sugestão seria feita á matriz, para avaliação da oportunidade de investir na expansão da unidade já que o aporte seria bem menor que o previsto anteriormente, considerando inclusiva a compra de um transformador novo.


Energy Cost Arbitrage Case

A large American multinational industry, with several industrial units spread throughout Brazil, wanted to make a diagnosis of opportunities in the area of ​​energy.

I spoke initially with the vice president who took care of the industrial area to understand the context of the desired diagnosis.
With the production manager of each unit, I visited the factories. These were my findings:

* Deregulated power contracts were oversized
* The leftovers were settled in SPOT for a price well below that contracted
* Gas contracts were undersized
* Those responsible for contracting the gas were decentralized in the units
* Those responsible for the contracting of electric energy were centralized at the matrix
* The plants used gas furnaces that replaced the previous electrical ones
* Some plants were idle (production capacity well above demand)
* Other units needed to expand to meet demand
* There was no predisposition to invest

Given the picture, after months of studies and meetings, I came up with incredibly simple and effective solutions.

I – Contracting of energy

* Reduce gas consumption
* Replace  gas by electric power through the available furnaces

The results were measured in millions of dollars.

II – Asset optimization

* One of the units operated only with a 138 kV / 13 kV transformer
* There was a spare transformer, which was idle
* Another plant was in the contracting limit of demand in 13 kV
* The concessionaire required the customer to migrate to 138 kV to increase its demand

I proposed that the idle transformer be brought to this unit

* The transformer is the largest cost item of a substation
* Thus the customer would have to “only” invest in lower cost items
* Therefore, it would make possible the epxansão of the plant  without massive investments

This suggestion would be made to the matrix, to evaluate the opportunity to invest in the expansion of the plant.


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *